Internacional

Relatores da ONU denunciam Brasil por colocar em risco "milhões de vidas", aponta colunista

A ONU acredita que o país deveria aumentar os gastos para combater a desigualdade e a pobreza exacerbada pela Covid-19

diario da manha
Logo da ONU em sede de Nova York. Foto: Lucas Jackson

O colunista do UOL, Jamil Chade, repercutiu em uma matéria publicada no site de notícias nesta quarta-feira (29) que o governo brasileiro foi denunciado por relatores da Organização das Nações Unidas (ONU) pelo que chamam de “políticas irresponsáveis” durante a pandemia do novo coronavírus.

Jamil Chade destaca que essa declaração emitida hoje (29) é a mais dura feita pela organização contra o Brasil devido à gestão da crise e uma das raras direcionadas à um país específico pela gestão sanitária.

A nota, conforme a publicação, diz “as políticas econômicas e sociais irresponsáveis do Brasil colocam milhões de vidas em risco”. Enfatiza também que o Brasil deveria abandonar imediatamente políticas de austeridade mal orientadas.

Conforme o comunicado, ressaltado pelo colunista, essa atitude está colocando as vidas em risco. A ONU acredita que o país deveria aumentar os gastos para combater a desigualdade e a pobreza exacerbada pela Covid-19.

Ainda segundo a matéria a crítica ocorre depois de instituições brasileiras denunciarem às Nações Unidas a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) diante das recomendações da Organização Mundial da Saúde para conter a disseminação do vírus. Ao ser confrontado nesta semana sobre o número de mortes no Brasil o presidente respondeu: “E daí?”

No último dia 17 de abril, o presidente havia declarado que a reabertura de lojas em meio à pandemia é uma atitude arriscada, mas necessária.

Bolsonaro demitiu o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta no dia 16 de abril, após divergências sobre medidas para conter o avanço da doença. Mandetta defendia o isolamento social alertando sobre os impactos na saúde pública, enquanto Bolsonaro opinava sobre a forma como a Covid-19 atingiria a economia.

Comentários