DM Autos

Novo Renault Duster. Veja o teste com a versão Iconic do modelo 2021

O SUV passou por uma profunda mudança, mas manteve o motor 1.6 16V que pede potência.

diario da manha

O novo Renault Duster lançado em março, já como modelo 2021, traz como heranças do passado apenas a robustez e a valentia do modelo. O SUV até então com uma imagem defasada, mudou por completo. A Renault até falou em um Duster da nova geração por conta de tantas mudanças feitas em relação ao modelo anterior.

O novo Renault Duster 2021 fez o caminho que as pessoas geralmente fazem quando vão envelhecendo. Elas buscam mudanças no visual em cirurgias plásticas ou em clínicas de estéticas. A ideia é cortar o que incomoda de excessos corporais e acrescentar onde falta.

Nos procedimentos mais simples, esconder as rugas da idade com os tratamentos tradicionais é a solução. Com o Duster não foi diferente. O modelo fez tudo o que tinha direito.

O SUV Duster 2021 foi submetido a uma plástica profunda, mas manteve as características de robustez e valentia. O modelo saiu das linhas de  montagem da Renault com um novo visual externo. Não só isso. Mudou também o interior e manteve o espaçoso porta-malas com 475 litros.  

Por fora, o Duster 2021 manteve algumas linhas do antecessor, mas empregou novas chapas na carroceria e fez reforços na estrutura, melhorando a rigidez do monobloco em 12,5%. Por dentro tudo, mas tudo mesmo é novo.

Aparências

Se colocar Duster atual e o anterior lado a lado as mudanças realçam muito mais. Os estilos robusto e valente não desapareceram novo modelo. Pelo contrário, passaram compor com as linhas modernas empregadas na nova geração.

Comparando os dois interiores aí, sim, é que as diferenças ficam tão aparentes que nem dá para dizer o que restou do velho modelo.

Bonito por fora e requintado por dentro, no novo Renault Duster chegou disposto a sair do quase anonimato no segmento dos SUVs para brilhar entre os concorrentes mais fortes, como Nissan Kicks, Chevrolet Tracker, Volkswagen T-Cross, Hyundai Creta, Jeep Renegad e Jeep Compass, dentre outros.

Estava passando da hora de uma mudança radical no Duster. Daí, a fabricante francesa Renault apresentou o SUV tão renovado que até foi chamado de nova geração. Veja no final do teto preços e equipamentos de todas as versões, incluindo a Iconic.

Faltou um detalhe para deixar tudo em perfeita harmonia: a parte que vem sob o capô. Não dá para passar despercebido o motor 1.6 16V SCe, de até 120 cv (E) a 5.500 rpm e 16,2 kgfm de torque a 4.000 rpm. É preguiçoso nas saídas. Ele pede um tempinho para o torque aparecer e, então, conseguir responder com agilidade quando o motorista precisa sair mais rápido em semáforos, por exemplo.

Novo Renault Duster 2021. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

Novo motor

Ainda sobre o motor 1.6 16V do Duster, é bom ficar atento nas ultrapassagens em rodovias. Nesse esse momento as trocas manuais na base do volante se tornam mais eficientes.

Essa situação só será revertida, pelo jeito, quando o Duster receber o novo motor 1.3 turbo, da parceria com a Mercedes-Benz, e que já equipa o modelo Classe A da marca alemã. Deve demorar um pouco porque esse novo motor deve chegar primeiro no Renault Captur que será lançado em 2021.

Agradável no visual, espaçoso e confortável por dentro, excelente conjunto de suspensão e bem equipado. Assim é o novo Renault Duster. Imperdoável é a oferta de apenas dois airbags em todas as versões (todos os concorrentes oferecem no mínimo quatro).

O novo Duster se destaca, porém, em  outro ponto: é bom de dirigir e quem está na condução sente a vantagem da posição elevada e da excelente visibilidade que a área envidraçada permite. A direção hidráulica saiu de cena e entrou a elétrica, bastante leve e precisa em manobras e com regulagem de profundidade.

Teste: versão Iconic

O robusto e valente Renault Duster foi lançado nas versões Sense, Intense e na top da gama, a Iconic. Foi exatamente essa a versão que nós testamos durante 10 dias. A experiência foi a melhor possível.

Tirando a falta de um motor mais potente, no restante o novo Renault Duster deixa boas impressões e não perde em nada em termos d aparência e conforto em relação ao seu irmão Captur.

Se falta uma motorização capaz de arrastar sem muito esforço o Duster, no consumo as médias foram razoáveis. Na estrada, com etanol no tanque o veterano SUV fez 7,4 km/litro e 10 km/l na rodovia. Nas acelerações mais fortes o motor 1.6 16V SCe de até 120 cv de potência grita um pouco, mas rompe bem quando alcança seu limite máximo de torque.

Novo Renault Duster 2021. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

Compõem o desenho da carroceria os novos faróis integrados à grade, com luzes DRL diurna de LED, e o novo parachoque com luzes de neblina integradas.

O capô ficou mais alto e com vincos mais destacados. Para suavizar um pouco o visual, as caixas de rodas passaram por uma correção e o para-brisas ficou mais inclinado, o que melhorou a aerodinâmica do carro.

Teto e traseira

O teto do Duster 2020 ganhou um pequeno caimento na traseira e um aerofólio integrado à tampa. A peça tem a função de diminuir a área envidraçada e melhor a estética do SUV. A traseira tem um desenho bastante convidativo para os olhos, mas as lanternas de LED que recebeu não são do Jeep Renegade. Elas são apenas muito parecidas. O parachoque traseiro traz agora integrado as luzes de ré.

Por dentro, o painel tornou-se uma peça bem atraente. Ficou mais alto e com linhas bem horizontais, mas com material ainda em plástico duro, embora bem mais macio do que no modelo anterior.

As mudanças no painel possibilitaram a instalação em posição mais ergonômica da nova central multimídia Easylink com tela de 8”. Essa central, substituta da MediaNav, é mais rápida e intuitiva e compatível com Android Auto e Apple CarPlay.

Os comandos do novo Renault Duster estão bem posicionados e o sistema start-stop e a trava das portas foram outras boas soluções. O volante com novo desenho é o mesmo utilizado no Logan e Sandero. O computador de bordo, por sua vez, ganhou uma nova tela de LCD que inclui velocímetro digital.

Chave por aproximação

A chave de comando, do tipo cartão, precisa apenas ser aproximada do SUV para que o alarme seja desativado e as portas possam ser destravadas, o mesmo ocorrendo inversamente. A partida do robusto e valente Duster é dada por um botão no painel.

 O ar-condicionado é digital e as rodas aro 17″ têm acabamento escurecido e seu desenho é exclusivo para a versão. Os faróis trazem luz diurna (DRL) em LED, enquanto os retrovisores contam com alerta de ponto cego. Já os controles de estabilidade e tração agora são item padrão, embora os airbags se limitem apenas aos dois frontais.  

O teto recebeu revestimento preto e novas luzes de leitura, instaladas tanto na parte frontal e no centro da cabine. Os bancos revestidos com material do tipo couro melhoraram no encosto e não ficaram tão macios no assento.

O bom espaço traseiro para as pernas permaneceu inalterado e o passageiro do meio agora tem encosto de cabeça e cinto e três pontos fixado no teto. Há também Isofix.

Retrovisor

O comando de ajustes do retrovisor mudou para o lado esquerdo do painel, posicionado ao lado botão do alerta de ponto cego, equipamento de série na versão testada, a Iconic. A acústica no interior da cabine avançou bastante, isolando praticamente todos os ruídos e vibrações vindos do motor e do atrito dos pneus no piso. 

A suspensão foi recalibrada e passou a ter uma performance bem melhor, com capacidade de absorver as imperfeições do piso, seja de asfalto ou terra. A mexida teve também com finalidade receber as rodas de 17” e também a de filtrar melhor a rolagem da carroceria.

O modelo atual descartou a tração nas quatro rodas sob demanda (4×4), mas ganho outros equipamentos importantes no segmento.

Versões, preços e equipamentos do Renault Duster 2021, incluindo a versão Iconic

Renault Duster Zen 1.6 MT (R$ 71.790): direção elétrica, ar-condicionado, faróis com luzes diurnas em LEDs, airbags dianteiros, controles de tração e estabilidade, cinto de segurança de três pontos nos cinco lugares, Isofix, start-stop, travas elétricas com detecção de afastamento, banco do motorista com regulagem de altura, alarme, rodas de 16″ de aço com calotas, rádio com USB, Bluetooth e AM/FM e chave canivete.
Opcionais: sistema multimídia EasyLink de 8″, faróis de neblina e rodas de liga-leve de 16″;

Renault Duster Zen 1.6 CVT (R$ 77.790): Traz todosos itens da versão Zen MT e acrescenta câmbio CVT e ponteira de escapamento cromada.
Opcionais: sistema multimídia EasyLink de 8″, faróis de neblina e rodas de liga-leve de 16″.

Renault Duster Intense 1.6 CVT (R$ 83.490):  Traz todos os itens da versão Zen CVT e acrescenta grade dianteira cromada, maçanetas na cor da carroceria, barras de teto cromadas, aplique nos para-choques, faróis de neblina, retrovisor externo elétrico com acabamento cromado, rodas de liga leve de 16″, vidros elétricos com função “um toque”, volante em couro, sistema multimídia EasyLink, sensor de estacionamento com câmera de ré, ar-condicionado automático e piloto automático.
Opcional: bancos em couro (R$ 1.700)

Renault Duster Iconic 1.6 CVT (R$ 87.490): Traz todos os itens da versão Intense CVT  e acrescenta sistema MultiView com quatro câmeras, alerta de ponto-cego, sensor de luz, chave presencial, rodas de 17″ e apoio de braço.
Opcional: bancos em couro (R$ 1.700).

Ficha técnica: Renault Duster Iconic 1.6 CVT

Motor:  dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, 1.598 cm3, duplo comando de válvulas com variador na admissão, flex
Potência: 118 cv (G) e 120 cv (E) a 5.500 rpm
Torque: 16,2 kgfm a 4.000 rpm
Transmissão: automática tipo CVT com simulação de seis marchas
Tração: dianteira
Suspensão: independente McPherson na dianteira, eixo de torção na traseira
Rodas e Pneus: alumínio aro 17″ com pneus 215/60 R17
Freios:   discos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EBD
Peso: 1.279 kg em ordem de marcha
Dimensões: comprimento 4.376 mm, largura 1.832 mm, altura 1.693 mm, entre-eixos 2.673 mm
Tanque: 50 litros
Porta-malas: 475 litros



Comentários