DM Autos

Chevrolet S10 2021: Versão High Country vai para o teste

Picape muda a frente, ganha novas rodas e fica mais conectada e segura.

diario da manha

A Chevrolet S10 2021, na versão topo High Country, encarou o teste do DMAutos. Foram exatos sete dias a bordo da picape topo de linha, a qual ganhou detalhes diferenciados das demais versões. As novidades estão na nova frente, nas rodas aro 18 e nos novos itens de conectividade e segurança, como  Wi-Fi 4G a bordo e frenagem automática de emergência, dentre outros.

A picape, que conta uma história de 25 anos de mercado e mais de 1 milhão de unidades vendidas no Brasil, ficou ganhou também 20% a mais resistência contra impactos frontais.

A marca promoveu uma reestilização não muito profunda no visual da sua picape média. Contudo, onde as mãos dos designers passaram as mudanças agradaram. A frente da picape é toda nova e no restante da carroceria a marca manteve as linhas marcantes do modelo.

A versão topo High Country 4×4, que nós testamos e cujo resultado apresentamos nesta matéria, é a que realmente ficou mais agressiva no visual.

Mas não pense que o que há de novo na Chevrolet S10 2021 fica restrito às mudanças pontuais do visual. Nas mudanças externas entram também as novas rodas esportivas de aro 18, combinando as bordas usinadas com o centro e os raios em preto brilhante, em perfeita harmonia com a carroceria.

A nova Chevrolet S10 2021 recebeu reforços na estrutura, melhorando em até 20% a resistência contra impactos frontais. Mas para que isso não aconteça, a S10 passou a contar sistema de frenagem automática de emergência.

O recurso funciona de forma suplementar ao alerta sonoro luminoso, fazendo o acionamento automático dos freios entre 8 km e 80 km/h caso o condutor não reaja pisando no pedal de freio. Ele detecta também outros veículos e pedestres.

Frenagem de emergência

Durante a avaliação, percebemos em alguns momentos que o sistema de frenagem automática de emergência sequer cochila. Mesmo com o pé no freio, o acionamento ocorreu. Certamente, sua ação automática se deu por entender que a pressão exercida sobre o pedal não era suficiente para parar a picape antes de atingir o veículo da frente. Bom sinal de atenção plena do sistema.

Apesar dos novos equipamentos, a nova S10 deixou de fora itens importantes, como chave presencial, piloto automático adaptativo, carregador de celular por indução, partida por botão e sensor de ponto cego. Na versão topo, com preço de R$ 213.290, seriam muito bem vindos. Não faltarão, certamente, na nova geração da picape, prevista para 2023.

Detalhe: a Chevrolet S10 da nova geração será unificada com a Colorado, vendida com sucesso no mercado norte-americano e de quem buscou inspiração de conceito para lançar sua linha 2021 no Brasil. O resultado é visto no visual impactante e valorizado do frontal da nova S10.

A Chevrolet S10 2021 foi lançada num momento em que sofre ameaças da Ford Ranger, que cresceu em vendas com sua nova versão Storm. Além disso, tem que se preocupar também com o futuro bem próximo.

Isso porque a Toyota traz ainda neste ano a nova geração da Hilux, já lançada na Tailândia. Era preciso acelerar na inovação da picape para não perder espaço para a concorrência. A GM fez bem o dever de casa.

Chevrolet S10 High Country: Visual diferenciado

Embora pequenas, as mudanças feitas na S10 2021, com destaque para a versão High Country 4×4, são o suficiente para não afastá-la da briga até que a sua nova geração seja lançada. A nova S10 trouxe apenas um novo visual. Veio também novidades não visíveis.

Uma delas é na tampa traseira, onde um amortecedor não deixa mais a tampa cair. Agora desce mais leve. O item é opcional na High Country, mas serve para todas as demais versões. O compartimento tem capacidade para 1.061 litros e, segundo o fabricante, é o maior da categoria. Sua carga útil é de 1.049 kg.

O visual da High Country da S10 2021 não passa despercebido.Foi exatamente essa a constatação que tivemos durante nossas andanças por Goiânia. O estilo exclusivo, diferente das demais versões e vindo da norte-americana Colorado, despertou olhares por onde passamos. Usuários de picapes foram os mais interessados no novo visual.  

A versão High Country adotou uma barra preta na grade com o escrito “Chevrolet” em alto relevo. A mudança fez com que a tradicional gravatinha dourada fosse deslocada para o canto inferior esquerdo da peça. Agradou em muito.

Ainda na versão High Country da nova Chevrolet S10 2021, o desenho do novo para-choque favoreceu no aumento do ângulo de entrada para 29 graus (antes era 27). Por sua vez, os faróis de neblina agora estão em posição mais alta. Os LEDs estão disponíveis apenas no feixe de iluminação, enquanto o conjunto de lâmpadas é ainda halógenas.

Versões e preços da linha 2021 da Chevrolet S10

S10 2.5 Flex 4×2 MT6: R$ 125.390
S10 LT 2.5 Flex 4×2 AT6: R$ 141.990
S10 LTZ 2.5 Flex 4×2 AT6: R$ 146.790
S10 LTZ 2.5 Flex 4×4 AT6: R$ 156.690
S10 Chassi-cabine LS 2.8 Diesel 4×4 MT6: R$ 158.500
S10 LS 2.8 Diesel 4×4 MT6: R$ 167.200
S10 LT 2.8 Diesel 4×4 AT6: R$ 187.590
S10 LTZ 2.8 Diesel 4×4 AT6: R$ 206.190
S10 High Country 2.8 Diesel 4×4 AT6: R$ 213.290 (Versão testada)

O motor que equipa a versão testada, associado à transmissão automática de seis marchas (AT6), é o mesmo 2.8 turbodiesel, com 200 cv de potência e 51 kgfm de torque da antecessora. O conjunto é eficiente. O motor responde bem nas acelerações, é silencioso e fez quase 12 km/l na estrada. A transmissão AT6 é extremamente bem calibrada e troca de marchas com absoluto maciez.

No motor foi uma pequena calibração visando reduzir o consumo e as emissões de poluentes. A boa novidade é o novo turbo, introduzido não com o objetivo de aumentar os números de potência e força do motor. A nova turbina foi adotada apenas para “encher” mais rápido o sistema e melhorar as respostas do motor em baixas rotações.

A aceleração de 0 a 100 km/h, por conta da “mexida”, baixou em 0,2 segundo, passando para 10,1s no modelo equipado com transmissão automática (AT6). Quanto à economia de combustível o consumo varia de 3% a 10%, dependendo da versão. Na High Countgry, durante o teste, consumo registrado ficou na casa dos 9 km/litro na cidade e 11,7 km/litro na rodovia. 

Novo turbo

De fato, o novo turbo trouxe uma melhoria ao propulsor 2.8 turbodiesel. Observamos durante o período em que rodamos na picape um motor com respostas mais imediatas, mesmo que pequenas. É como se aquele “time” na aceleração inicial praticamente desaparecesse. No primeiro toque no acelerador o motor já se mostra com boa disposição, deixando a condução mais agradável graças ao turbo lag menor.

A terceira geração da central multimídia My Link, com tela de 8″ nesta versão, GPS nativo e internet 4G a bordo são outras boas novidades na S10 2021. Ela é bastante intuitiva e de fácil manuseio. Graças à antena que amplifica o sinal do Wi-Fi e o deixa até 12 vezes mais estável, é possível obter rede onde o celular normalmente não pega. Além disso, é possível rotear a internet para o smartphone.

As conexões Apple Carplay e Android Auto agora são feitas via Bluetooth e dispensam o uso de cabo. É inédito na marca. Uma pena não dispor de carregador por indução. O painel da nova S10 não mudou nada, mas nem precisava mesmo. É bonito e traz excelente acabamento com o emprego de material macio e de qualidade.

Câmera de ré

A câmera de ré de alta resolução, integrada à central multimídia My Link, pode ser acionada para observação de um trailer, por exemplo. No quesito conforto interno, a S10 High Country é padrão. Oferece excelente posição de dirigir, os bancos em couro são confortáveis e os passageiros do banco traseiro viagem com bom espaço para as pernas.

Apesar dos R$ 213 mil do valor da S10 topo da linha, o investimento vale. A picape é surpreendente em todos os aspectos. Poderia trazer os itens citados acima para ficar mais atraente. De qualquer forma, ficou mais bonita e manteve suas qualidades de segurança e eficiência, o que torna a compra prazerosa.

Ficha técnica: Chevrolet S10 High Country 2021

Motor: dianteiro, longitudinal, quatro cilindros, 16 válvulas, 2.776 cm3, comando duplo, turbo e injeção direta, diesel
Potência: 200 cv a 3.600 rpm; 51,0 kgfm a 2.000 rpm
Torque: 51 kgfm a 2.000 rpm
Transmissão: Câmbio automático de 6 marchas, tração traseira (4×2), 4×4 e 4×4 com reduzida
Suspensão: Independente de braços sobrepostos na dianteira, eixo rígido com molas semi-elípticas na traseira
Rodas e Pneus: Liga leve aro 18″ com pneus 265/60 R18
Freios: Discos ventilados na dianteira e tambor na traseira, com ABS e ESP
Peso: 2.101 kg em ordem de marcha
Dimensões: Comprimento 5.408 mm, largura 1.874 mm, altura 1.839 mm, entre-eixos 3.096 mm; vão livre 228 mm
Tanque: 76 litros
 Caçamba: 1.061 litros
Carga útil: 1.049 kg

Comentários