Brasil

Após gesto inconsequente de Jair Bolsonaro, CNN e Record afastam repórteres presentes em entrevista

diario da manha
(Foto: Reprodução/TV Brasil)

O presidente anunciou nesta terça-feira (7) que testou positivo para o novo coronavírus, em entrevista concedida para poucos profissionais em Brasília. Bolsonaro retirou a máscara e conversou com os jornalistas a uma distância menor do que o recomendado pelas autoridades de saúde. Com a atitude, equipes da EBC, CNN e Record foram afastadas de suas atividades por medida de segurança.

“Só para vocês verem a minha cara aí. Eu tô bem, tranquilo, graças a Deus. Tudo em paz, obrigada a todos aqueles que oraram por mim, torceram por mim, estou bem, graças a Deus”, justificou o presidente.

Ao Uol, a TV Record destacou o afastamento do repórter como medida de precaução e disse que todos os profissionais que tiveram contato com pessoas infectadas só retornam ao trabalho depois de fazer novo teste.

Leia também: Além de presidente, covid-19 atingiu ministros e quase 30% dos governadores

CNN Brasil informou que o repórter Leandro Magalhães e o cinegrafista Carlos Alberto de Souza ficarão isolados por sete dias e só retornarão ao trabalho depois que apresentarem resultado negativo para seus exames.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF) não descarta a possibilidade de acionar Bolsonaro na Justiça caso algum dos envolvidos na cobertura teste positivo para o vírus.”Imagens e denúncias que chegaram ao SJPDF comprovam que o presidente da República, positivo para a Covid-19, colocou em risco os jornalista e as equipes ao fazer o anúncio. Por que o presidente não solicitou que um médico o fizesse? E qual será a postura daqui para a frente”, questionou.

Comentários