Cidades

Acusados de espancar estudante de direito até a morte tem prisão revogada, no DF

João Victor Costa de Oliveira, 19 anos, foi espancado e morto no dia 5 de fevereiro, em frente a um bar, na Vila Buritis, em Planaltina

diario da manha
João Victor Costa de Oliveira foi morto após uma briga, em frente a um bar em Planaltina

A justiça do Distrito Federal revogou nesta segunda-feira (1º) a prisão temporária dos acusados de espancar e matar o estudante de direito João Victor Costa de Oliveira, 19 anos. A decisão é juiz Taciano Vogado Rodrigues Júnior. O crime aconteceu no dia 5 de fevereiro, em frente a um bar, na Vila Buritis, em Planaltina. As informações são do Metrópoles.

“Considerando que a prisão temporária foi decretada para a regular investigação do inquérito policial, e que o referido IP já está encerrado, certo é que restou alcançada exaurida a finalidade da prisão provisória”, escreveu o magistrado.

A investigação levou ao nome de quatro acusados pelo espancamento e morte do estudante. São eles, Romário Alves Pereira, Vitório Joaquim de Lima Costa, Rodrigo Araújo Sousa e Douglas Ferreira Boucher.

Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), João Victor foi espancado até a morte por conta um desentendimento com dois homens que passavam de carro em frente ao estabelecimento.

De acordo com testemunhas, momentos antes do crime, os ocupantes do veículo gritaram de dentro do veículo para uma pessoa, e por achar que teria sido xingado, o estudante revidou as agressões verbais. Os dois homens que estavam no veículo então saíram, e depois retornaram com outros comparsas.

Os quatro homem agrediram a vítima, em que ainda segundo as testemunhas, um capacete de motociclista foi usado para golpear o jovem, que não resistiu aos ferimentos. O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) foi acionado, mas quando chegou ao local João Victor estava morto.

O veículo usado pelos acusados foi apreendido. Na época do crime, eles chegaram a ser ouvidos na delegacia, mas por falta de provas foram liberados em seguida.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários