Cidades

Mulheres são presas após desviar merenda escolar, em Goiânia

Elas devem devolver todo o dinheiro (R$ 314 mil), e pagar uma multa aplicada duas vezes no valor do prejuízo causado

diario da manha

Duas mulheres foram presas por desviar R$ 314 mil que seria reservado para a merenda do Colégio Estadual Professora Olga Mansur, em Goiânia. Segundo o Ministério Público, elas devem devolver todo o dinheiro, e pagar uma multa aplicada duas vezes no valor do prejuízo causado.

De acordo com o Ministério Público, devido a esse desvio, os alunos ficaram sem merenda durante 12 dias, entre fim de outubro e início de novembro de 2013. O dinheiro era transferido para a conta do filho da antiga coordenadora de merenda escolar e presidente do Conselho Escolar da unidade, Fátima Vaz dos Santos Silva.

A diretora do colégio percebeu que a instituição estava passando por uma situação financeira difícil e procurou Fátima, que alegou que passava por problemas pessoais e precisava viajar. Depois de algum tempo ela foi procurada novamente, avisou que iria até a casa dela para fazer almoço e não voltou mais.

A defesa de Fátima alegou que ela é inocente no caso e que apenas ajudava a diretora na época, com a expectativa de ser promovida, emprestando a conta do filho. Além disso, a defesa, que não decidiu se irá recorrer, informou que Fátima não teve benefício financeiro e apenas assinava os cheques.

Já a defesa da tesoureira do conselho, Gercina Inácio Alves de Menezes, informou que recorreu à sentença, pois ela foi “vítima dos atos cometidos pela Fátima”. A nota informa que Gersina não participou de fraude alguma, mas assinou os cheques porque sua assinatura era obrigatória como tesoureira.

A juíza Zilmene Gomide da Silva estipulou na sentença, além da multa e do ressarcimento integral do dinheiro, o cancelamento da função pública, se estiverem em atividade e interrupção de direitos políticos por cinco anos.

*Com informações do G1

Comentários