Brasil

Mulher que atacou verbalmente fiscal da Vigilância Sanitária é demitida

diario da manha

A mulher que apareceu em uma reportagem do Fantástico no último domingo (05), agredindo verbalmente o fiscal da Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, Flávio Graça, foi demitida. Em nota, a empresa de transmissão de energia Taesa, onde ela trabalhava, confirmou a decisão e afirmou que “compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo”.

No episódio, o Fantástico mostrava uma fiscalização em um bar por volta de 21h de sábado (04), quando um casal foi filmado atacando o fiscal, que identificou irregularidades de higiene e de distanciamento em um dos bares, no meio da pandemia do coronavírus. O homem, que se identificou como cliente, resolveu tirar satisfação.

Leia também: Pesquisa aponta margem de erro de até 500% nos dados oficiais da Covid-19 no Brasil

“Não vai falar com seu chefe, não?”, questionou. A mulher que o acompanhava também alfinetou: “A gente paga você, filho. O seu salário sai do meu bolso”. O homem continuou questionando o agente: “Cadê sua trena? Quero saber como você mediu sem trena”. Flávio Graça: “Tá, cidadão”. Neste momento, a mulher retrucou com soberba: “Cidadão, não. Engenheiro civil, formado. Melhor do que você.”

Leia também: Padre chama Bolsonaro de bandido e convoca quem o elegeu a se confessar

Confira a nota completa:

A TAESA é uma companhia comprometida com a segurança e a saúde não apenas de seus empregados, mas também com o bem-estar de toda a sociedade. Desde o início da pandemia da Covid-19, a Taesa implementou inúmeras iniciativas para proteger a saúde de seus profissionais e seus familiares, como o home-office para 100% do seu quadro administrativo, e a adoção de diversas outras medidas de proteção para as equipes que operam em campo.

A companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia.

A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo.

A TAESA ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a TAESA decidiu por sua imediata demissão.

Comentários