violência

Presidente global do Carrefour, pede total colaboração para elucidar os fatos

Alexandre Bompard, diretor global do grupo, pediu para que seja investido em treinamentos para os funcionários e também terceirizados, principalmente ligadas a questões como respeito a grupos minoritários.

diario da manha

“Eu pedi para as equipes do Grupo Carrefour Brasil total colaboração com a Justiça e autoridades para que esse os fatos deste ato horrível sejam trazidos à luz.”

Alexandre Bompard

O presidente global do grupo Carrefour lamentou através de seu twitter o assinato de João Alberto Silveira Freitas, vítima de racismo, foi agredido até a morte dentro de uma loja do Carrefour em em Porto Alegre (RS).

Alexandre Bompard, diretor global do grupo, pediu para que seja investido em treinamentos para os funcionários e também terceirizados, principalmente ligadas a questões como respeito a grupos minoritários, em sua fala ele disse: “no que diz respeito à segurança, respeito à diversidade e dos valores de respeito e repúdio à intolerância”.

O ato ocorrido dentro do estabelecimento, às vésperas do dia da Consciência Negra, causou revolta e levou centenas de manifestantes para as lojas do carrefour, pichações com a palavra “racistas” também estamparam diversos estabelecimentos do varejista.

Em comunicado, o grupo Carrefour afirmou que o funcionário que estava responsável pela loja no momento será demitido, e o contrato com a empresa de segurança rompido permanentemente.

Ainda em seu twitter, o francês se posicionou contra o racismo e considerou insuficientes as medidas tomadas. “Meus valores e os valores do Carrefour não compactuam com racismo e violência”. Sobre o vídeo que circula nas redes sociais desde a última quinta-feira (19) informou ele que as imagens do assassinato são “insuportáveis” e pede que a gestão brasileira esteja à inteira disposição da justiça para lucidar os fatos.

Comentários