Saúde

75% dos hospitais privados se encontram sem kit intubação

Os dados coletados mostram que 75% das instituições só têm por mais cinco dias o abastecimento de insumos para pacientes com Covid-19

diario da manha

Na última quarta feira (7), a Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), divulgou um levantamento importante sobre o “Kit intubação”. A informação chama a atenção para o alto riso de escassez do kit na maior parte das 88 unidades de saúde que integram a pesquisa.

Os dados coletados mostram que 75% das instituições só têm por mais cinco dias o abastecimento de insumos para pacientes com Covid-19. De acordo com a Anahp, além do kit de intubação, os principais itens em falta são oxigênio, anestésicos.

As instituições de saúde privadas estão com abastecimento crítico de oxigênio segundo o levantamento. Nas cidades abaixo, 62,5% dos hospitais afiliados responderam que estão com estoque de até uma semana.

  • Belém (PA),
  • Belo Horizonte (BH),
  • Blumenau (SC),
  • Cuiabá (MT),
  • Curitiba (PR),
  • João Pessoa (PB),
  • Porto Alegre (RS),
  • São Paulo (SP).

Em relação aos anestésicos, outros 23 hospitais participantes também contam com estoque inferior ou igual a cinco dias.

  • Atibaia (SP),
  • Belém (PA),
  • Belo Horizonte (MG),
  • Bento Gonçalves (RS),
  • Blumenau (SC),
  • Brasília (DF),
  • Cuiabá (MT),
  • Curitiba (PR),
  • Cariacica (ES),
  • Ipatinga (MG),
  • Joao Pessoa (PB),
  • Niterói (RJ),
  • Porto Alegre (RS),
  • São Paulo (SP),
  • Serra (ES).

Ainda sobre a relação à disponibilidade de ventiladores para atender a demanda, nove das 88 instituições afirmaram que não possuem equipamentos suficientes. Com apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) os associados definiram uma estratégia. Eles passaram a importar os produtos em falta, em caráter emergencial.

“Diante do cenário crítico, a associação ressalta que realiza levantamentos constantes entre os seus associados, com o intuito de identificar aqueles que apresentam cenários mais graves em relação à falta de insumos. Assim, consegue informar o Ministério da Saúde sobre o desabastecimento dos insumos e contribuir com seus afiliados, reforçando o objetivo de enfrentar a doença e salvar vidas”, avaliou a Anahp.

Comentários