Saúde

Para conter a Covid-19 no Brasil, vacinação precisa chegar a 2 milhões de pessoas por dia, diz estudos

Média que pode demorar a chegar, já que algumas cidades estão parando de vacinar contra a Covid-19 por falta de doses

diario da manha

Para o Brasil conseguir conter a pandemia do novo coronavírus em até um ano, a vacinação no país precisa chegar a 2 milhões de pessoas por dia, é o que aponta cálculos de um estudo publicado em fevereiro pelo Programa de Pós-Graduação em Modelagem Computacional da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora).

Atualmente, com média de 185 mil imunizações por dia, considerando as 5.756.502 de doses aplicadas entre 18 de janeiro e 19 de fevereiro, o Brasil precisaria aumentar 10,7 vezes a quantidade de pessoas vacinadas por dia para imunizar pelo menos uma média de 70% da população em um ano.

Média está que pode demorar a chegar, já que algumas cidades estão parando de vacinar contra a Covid-19 por falta de doses, e o Ministério da Saúde deverá ter apenas 5,6 milhões das 11,3 milhões de doses esperadas para o mês de fevereiro.

MACHISMO NO AUTOMOBILISMO

Quando a meta for atingida, porém, os casos ativos devem variar de 8 mil com uma vacina 50% eficaz, a 201 com um imunizante 90% eficiente. “Nesse ritmo, a pandemia estaria controlada após um ano da vacinação, independentemente da eficácia da vacina”, diz o estudo.

Para chegar neste resultado, os pesquisadores usaram um modelo computacional que utiliza entre seus parâmetros a velocidade com que as pessoas são imunizadas e a eficácia da vacina.

Com uma taxa de vacinação de 100 mil pessoas por dia, índice apenas recentemente ultrapassado no país, o número de casos ativos ainda seria alto (85.135 casos) e a pandemia poderia perdurar por mais de dois anos, segundo as simulações.

Caso à vacina chegue a 2 milhões de pessoas por dia, cerca de 191.110 vidas seriam salvas em um ano com uma vacina 50% eficaz.

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Onlinewww.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Comentários