Saúde

SES envia força-tarefa para manter o Hurso

Equipe de superintendentes e gestores tem missão de garantir normalidade no atendimento e dar segurança para servidores e pacientes. Medicamentos, alimentação, insumos e profissionais trabalhando retomaram a normalização

diario da manha

O Hospital de Urgências da Região Sudoeste Dr Albanir Faleiros Machado (HURSO), de Santa Helena de Goiás, recebeu na tarde dessa quinta-feira uma delegação da Secretaria Estadual de Saúde (SES) para um esforço concentrado e garantir a normalização dos serviços prestados na unidade.

Sob a coordenação do assessor especial do secretário, Fernando Jesus a equipe já começou das ações para manter os serviços e a estrutura necessária para a assistência. “Nossa missão é garantir que profissionais saibam da sua importância e que suas prerrogativas são respeitadas, incentivar as equipes para manterem a normalidade dos serviços, manter estoques de medicamentos e insumos necessários até a transição e tranquilizar a população de Santa Helena e região de que os serviços serão continuados”, explica.

Superintendentes e gerentes da SES encarregados de conversar com funcionários, prestadores de serviço e fornecedores iniciaram essa sexta-feira em contato com as equipes para apresentar o planejamento do processo de transição e dar garantias de que eles não vão ficar desamparados.

O Hurso teve uma sequência de eventos nos últimos dias que culminou com a manifestação no último dia de 2020 pela direção do IBGH, Organização Social que faz a gestão da unidade, de que não tem mais interesse em continuar na administração de três unidades da rede estadual de saúde.

Diante da manifestação do IBGH de deixar os contratos a crise se acentuou a ponto de fornecedores se negarem a fazer entrega de produtos com receio de não receberem. Profissionais da assistência que estão com salários atrasados, principalmente de empresas prestadoras de serviço, se negavam a atender e alguns pediram demissão imediata por medo de ficar no prejuízo. Cirurgias foram desmarcadas por falta de anestesista e chegou a faltar até medicamentos básicos para ministrar aos pacientes. A dificuldade aumentou e a alimentação para funcionários e pacientes passou a ser regrada.

Com a chegada da força-tarefa da SES a Santa Helena a situação se acalmou. A dona de casa Alíria Tatiane Azevedo, 35, moradora de Parauna, está acompanhando o filho que sofreu uma fratura na clavícula. Ela comenta que já sentiu melhoras na assistência desde a tarde de ontem, quinta-feira. “Antes estava faltando até comida e ninguém sabia dizer nada. A gente ficava até com pena deles vendo que queriam fazer mais, mas não tinham condições. Agora até a comida já melhorou e o que podemos dizer é que esse pessoal que veio de Goiânia para normalizar a coisa aqui em Santa Helena são os anjos que vão tirar todo mundo do sufoco”. Para ela a equipe pode ser definida como “os salvadores da pátria”.

O secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, nomeou uma comissão para coordenar a transição da gestão das unidades de Santa Helena de Goiás, Jaraguá e Pirenópolis entre o IBGH e as novas Organizações Sociais que serão selecionadas em um processo de chamamento emergencial aberto pela SES.

tags:

Comentários