Saúde

Mais de 1 milhão de pessoas voltam ao trabalho após flexibilização

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) divulgados nesta sexta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na terceira semana do mês passado 13,3% das pessoas que trabalham estavam afastadas das ocupações por causa da pandemia do novo coronavírus. Já na semana anterior o número era de 14,8%

diario da manha
Foto: Mauro Pimentel/AFP

Conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) divulgados nesta sexta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre os dias 14 e 20 de junho 1,3 milhão de pessoas saíram do isolamento social e voltaram ao trabalho presencial.

Segundo o levantamento, na terceira semana do mês passado 13,3% das pessoas que trabalham estavam afastadas das ocupações por causa da pandemia do novo coronavírus. Já na semana anterior o número era de 14,8%, de acordo com a Agência Brasil.

No começo da pesquisa, primeira semana de maio, o total de brasileiros afastados de forma temporária do trabalho presencial era de 16,6 milhões, o que representava 19,8%, segundo aponta à matéria a coordenadora do estudo, Maria Lúcia Vieira.

“No acompanhamento semanal da pesquisa, verificamos estabilidade na população ocupada e na desocupada, mas uma queda no grupo de pessoas ocupadas que não estava trabalhando na semana de referência devido à pandemia. Esse movimento se repete na terceira semana de junho em relação à segunda semana, indicando uma continuação do retorno dessas pessoas às suas atividades de trabalho”, explicou Maria Lúcia Vieira.

Conforme a Agência Brasil, a pesquisa do IBGE mostra que as pessoas que estavam trabalhando de forma remota somaram 8,7 milhões de pessoas. A proporção representa 12,5%. O número é estável com relação à semana de 3 a 9 de maio e também levando em consideração a semana anterior. De acordo com o IBGE a taxa de informalidade é de 33,9%.

Comentários