Política & Justiça

Polícia realiza operação e mira esquema de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro

A ação acontece em Pernambuco, Ceará, Goiás e São Paulo, segundo a Civil. Investigação aponta que grupo usava empresas de fachada

diario da manha
Documentos foram apreendidos na operação Laranja de Pano — Foto: Reprodução/WhatsApp

A Polícia Civil desencadeou, nesta quinta-feira (20), a operação Laranja de Pano para desarticular uma organização criminosa ligada à lavagem de dinheiro e sonegação fiscal, que utilizaria empresas fantasmas.

Segundo a delegada Priscilla Von Sohsten, responsável pelas investigações, a ação acontece simultaneamente em Pernambuco, Ceará, Goiás e São Paulo.

Entre os investigados estão empresários e uma pré-candidata que mora interior de Pernambuco. A apuração dos crimes teve início em dezembro de 2019 e teve apoio da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil.

Ao todo, foram emitidos 25 mandados de prisão e outros 25 de busca e apreensão pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Camaragibe, no Grande Recife. Segundo a Polícia Civil, 21 alvos foram presos até 8h30. Não foi informado se algum deles estava no sistema prisional.

A investigação policial também contou com o apoio da Secretaria da Fazenda (Sefaz), já que foi identificado um movimento anormal de abertura de empresas.

Detalhes

A Polícia Civil descobriu uma quadrilha que atuava nos segmentos de tecidos e confecções, o que deu nome à operação.

A ação é comandada pela Delegacia de Combate aos Crimes contra a Ordem Tributária (Deccot) do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco).

Foram escalados cerca de 165 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, e 28 auditores fiscais para a operação.

Os presos e materiais apreendidos são encaminhados para a sede do Draco, no bairro de Tejipió, na Zona Oeste do Recife. A assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que só deve divulgar detalhes da ação na sexta-feira (21).

*Com informações do G1

Comentários