Política & Justiça

Justiça federal vai decidir se Marconi cometeu corrupção

Justiça Eleitoral devolve ação criminal que investiga conduta de Marconi Perillo e outros tucanos envolvidos nas operações Cash Delivery e Confraria

diario da manha

 Investigado por corrupção, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) será julgado pela Justiça Federal, já que o juiz eleitoral Mábio Antônio Macedo, da 135ª Zona Eleitoral de Goiânia, não identificou crime eleitoral na conduta do antigo gestor de Goiás. A decisão foi divulgada nesta terça-feira, 11. A desclassificação torna o suspeito réu de outras modalidades de crimes.

Com o posicionamento dos julgadores eleitorais, o líder tucano volta a ser alvo da Justiça Federal. Inicialmente, existiria a hipótese de que o político fosse investigado apenas por crime eleitoral, mas diante da nova postura, o processo criminal se concentrará na apuração de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.     

As investigações que motivaram o processo criminal integram as Operações Cash Delivery e Confraria, que levaram Marconi e outros tucanos para a prisão da Polícia Federal.

Conforme o Ministério Público, teria ocorrido pagamento de propinas para Marconi e ao ex-presidente da antiga Agência Goiana de Transporte de Obras (Agetop) Jayme Rincón.  A Odebrecht é o pivô da operação Lava Jato. A investigação teria também identificado desvios na Companhia de Desenvolvimento Econômico do Estado de Goiás (Codego) e de seu ex-presidente, Júlio Vaz.

Os três ex-agentes públicos foram presos nos desdobramentos das investigações ocorridas entre 2017 e 2018.  

Comentários