Política & Justiça

Suspeitos de aplicar 'golpe do cartão clonado' são presos em Goiânia

Conforme as investigações, pelo menos 60 pessoas teriam sido vítimas da quadrilha

diario da manha
Foto: Reprodução

Dois homens e uma mulher, que não tiveram a identificação divulgadas, foram detidos suspeitos de aplicar o ‘golpe do cartão clonado’, também conhecido como golpe do motoboy, na grande Goiânia. Segundo as investigações, aproximadamente 60 pessoas teriam sido lesadas pela quadrilha.

De acordo com o delegado Cássio Arantes, os suspeitos entravam em contato com as vítimas, principalmente idosos, por telefone. Na ligação, os criminosos afirmavam que o cartão de crédito delas haviam sido clonados. Em seguida, induziam a vítima a repassar os dados do cartão.

“Passamos a receber algumas denúncias das vítimas, principalmente de pessoas idosas, caindo bastante nesse golpe. Parte das pessoas vieram até nós, trouxeram algumas informações das operações realizadas em seus cartões e a partir disso seguimos com as investigações. Identificamos parte dos autores, beneficiários do crédito desses valores em contas bancárias vinculadas a essas maquininhas de cartões”, confirmou o delegado.

O delegado ainda declarou que, posteriormente os golpistas alegavam que o cartão precisaria passar por uma perícia, fazendo com que a vítima entregasse a uma pessoa que iria buscar em nome do banco. Porém, segundo as apurações, os suspeitos contratavam um moto- boy, que sempre tinha conhecimento do crime.

“Com o cartão e senha em mãos, os golpistas faziam a retirada de todo o saldo existente da vítima.Compravam produtos em lojas falsas na internet, criadas por eles, para terem acesso ao dinheiro”, explicou Arantes.

Durante a operação, foram apreendidos diversos documentos, uma moto aquática, 12 máquinas de cartão, objetos adquiridos com os cartões de crédito de terceiros, além de jóias e garrafas de bebida.

Para Polícia Civil (PC), as investigações continuam com o propósito de identificar e prender outros integrantes do grupo. Se condenados, os três suspeitos vão responder pelos crimes de estelionato, associação criminosa e receptação qualificada.

*Com informações do G1

Comentários