Política & Justiça

Renegociação de contratos do TJGO gera economia de quase R$ 11 milhões aos cofres públicos

diario da manha

Após intensas negociações com fornecedores, a área administrativa do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) chegou a uma redução de quase R$ 11 milhões (R$ 10.912.531,34) nos gastos públicos com contratações em 2020. O resultado preliminar dá continuidade às medidas de racionamento de gastos determinadas pelo Plano de Contingenciamento de Despesas do Poder Judiciário goiano. O índice alcançado supera a meta da Presidência do TJGO, de redução linear de pelo menos 25% nos contratos de custeio, estabelecida na edição do Decreto Judiciário nº 767, de 14 de abril de 2020.

Somente nos contratos da área de tecnologia da informação, a redução de custos atingiu 30,67% do montante financeiro inicialmente previsto. As despesas empenhadas para 2020 alcançavam, antes das medidas de racionamento, o valor de R$ 16.603.200,85 e, após as iniciativas, foram reduzidas para R$ 11.511.627,19, resultando em uma economia de R$ 5.091.573,00.

O diretor de Informática, Anderson Yagi Costa, destaca que a redução dos valores gastos foi implementada sem qualquer prejuízo do projeto de modernização tecnológica do tribunal. “Após levantamento e análise de todos os contratos sob a gestão da Diretoria de Informática, entramos em contato com as empresas visando à renegociação contratual. Devido ao atual quadro de crise financeira, as empresas aceitaram diminuir os valores dos contratos, mantendo, e em alguns casos até mesmo aprimorando, os atuais níveis de serviço”.

A Diretoria Administrativa, por sua vez, propôs a supressão de R$ 5.820.958,34 nas despesas com serviços, passagens aéreas e terrestres, postagem, combustíveis, dentre outras. “Estamos fazendo o monitoramento diário dos gastos do tribunal, buscando ajustar a execução financeira, com medidas de racionamento de uso de materiais e de serviços, a fim de que possamos enfrentar o atual cenário de restrições imposto pela pandemia”, ressalta a diretora administrativa, Tatiana Rodrigues Ferreira.

Dedicação de toda equipe

De acordo com o diretor-geral do TJGO, Rodrigo Leandro da Silva, o sucesso da medida é fruto da dedicação de toda a equipe, “que não mediu esforços no sentido de buscar economia para os cofres públicos nesse momento crítico sem, contudo, abrir mão da qualidade dos serviços prestados.”

“Desde a edição do Decreto nº 767/2020, nossos gestores têm realizado diversas reuniões internas e com os fornecedores, buscando alternativas para reduzir os custos de funcionamento da máquina pública. Estamos nos valendo de critérios objetivos para alcançar maiores níveis de eficiência, firmes no propósito de atravessarmos esse período de crise e, ao mesmo tempo, cumprirmos as metas de gestão delineadas pelo nosso presidente, desembargador Walter Carlos Lemes”, destaca o diretor-geral.

Comentários