Política & Justiça

Abraham Weintraub pode ser demitido a qualquer momento, diz jornal

diario da manha
Foto: Reprodução

Após participar de protestos a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), no último domingo (14) e contra o Supremo Tribunal Federal (STF), membros do governo informaram a ministros do Supremo que o ministro da Educação Abraham Weintraub deve ser demitido a qualquer momento pelo presidente.

De acordo com as informações divulgadas sobre a possibilidade de demissão do ministro da Educação, dão conta que tal ato será um gesto de paz ao STF, sempre alvos de criticas do Weintraub.

Segundo a publicação do Jornal Folha de São Paulo, Bolsonaro já estaria buscando uma saída honrosa para Weintraub, até mesmo acenando com um cargo no planalto ou uma função diplomática no exterior.

Abraham Weintreub é investigado por racismo contra a China e por fake news contra membros do STF

O ministro da Educação responde a um processo por racismo contra a China, após fazer a publicação de uma charge com teor racista contra o país ocidental e um dos principais parceiros comerciais do Brasil.

Tempos depois, quando a reunião ministerial do dia 22 de abril foi divulgada pelo STF, o ministro aparece falando sobre os ministros do STF, os chama de “vagabundos” e afirma que todos eles deveriam estar presos.

Weintraub chegou a ser ouvido pela Polícia Federal (PF) sobre os inquéritos, mesmo após tentar marcar a data para o depoimento, o que lhe foi negado, sob a justificativa dele ser o réu e não a vítima e por isso não lhe é atribuído esse direito.

A informação sobre a possível demissão do ministro ocorre, após o mesmo participar dos atos pró-governo no último domingo e ainda aparecer ao lado de apoiadores sem máscara, que tem o uso obrigatório, determinado por decreto estadual em Brasília.

Devido a aparecer sem a máscara, o ministro foi multado pelo Governo do Distrito Federal (GDF), em R$ 2 mil por desobedecer o decreto estadual.

Comentários