Política & Justiça

Secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde a 18 dias no cargo é exonerado

Carvalho foi exonerado, a pedido, na madrugada desta sexta-feira (22)

diario da manha

A presidência desempossou o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Carlos Campos de Carvalho, a demissão foi divulgada na edição da madrugada desta sexta-feira (22) do Diário Oficial da União (DOU). “O desligamento foi resultado de uma solicitação”, segundo decreto assinado pelo Ministro da Casa Civil, general Walter Souza Braga Netto.

O secretario exonerado, atuou no cargo por 18 dias desde a sua nomeação, Carvalho considerava as estratégias do governo como medidas que contrariavam protocolos médicos, e declarou a outros veículos de comunicação que tinha ideia desfavorável ao uso da cloroquina em pacientes com sintomas ainda iniciais de coronavírus.

Em seu esclarecimento ao jornal “Folha de S. Paulo”, naquela ocasião o secretario comunicou que abandonaria o cargo por avaliar ser precipitada a modificação do protocolo da inclusão do uso da cloroquina.

A repartição que Carvalho liderava é dirigente, segundo o site do Ministério da Saúde, pelo o avanço da competência científica, tecnológica e produtiva nacional para a consolidação do Sistema Único de Saúde.

Alteração do Protocolo

Na Última quarta-feira (20), o Ministério da Saúde tornou público o protocolo que autoriza no SUS o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para casos leves de Covid-19.

A modificação no protocolo era um pedido do presidente Jair Bolsonaro, idealizador do uso da cloroquina nos mecanismo de tratamento da enfermidade provocada pelo novo vírus. Ainda não existe fundamentação cientifica que comprove que a cloroquina é eficaz na cura a Covid-19. Pesquisas internacionais não descobriram eficiência no medicamento e a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) não indica o uso.

O protocolo da cloroquina foi motivo de atrito entre Bolsonaro e os últimos dois ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. Em menos de um mês, os dois saíram do governo.

O texto defende a exigência de o paciente aprovar o uso da medicação e de o médico optar em aplicar ou não o remédio.

Divulgação da exoneração

O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto no art. 4º do Decreto nº 9.794, de 14 de maio de 2019, resolve:

Nº 254 – EXONERAR, a pedido,

ANTONIO CARLOS CAMPOS DE CARVALHO do cargo de Secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde, código DAS 101.6, a partir de 18 de maio de 2020.

WALTER SOUZA BRAGA NETTO

*Com informações do G1

Comentários