Política & Justiça

Pior que ataque a STF é falta de projeto educacional, afirma Barroso

A declaração foi feita após o ministro ter assumido a presidência do TSE

diario da manha
Entrevista coletiva do ministro Roberto Barroso por videoconferência. Brasília-DF, 26/05/2020 Foto: Roberto Jayme/ASCOM/TSE

Durante entrevista coletiva por videoconferência nesta terça-feira (26), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, enfatizou que é mais grave o país não ter um projeto educacional adequado do que os ataques sofridos pelos tribunais. A declaração foi feita após o ministro ter assumido a presidência do TSE. As informações são da Agência Brasil e foram publicadas pelas revista IstoÉ.

As considerações do recém empossado presidente do TSE, que também é integrante do Supremo Tribunal Federal (STF), estão associadas à uma pergunta feita durante a transmissão sobre a fala do ministro da Educação, Abraham Weintraub. Em reunião ministerial com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) Weintraub havia cogitado a prisão de ministros do STF, como destaca a reportagem.

“O vídeo fala por si só e eu não gostaria de comentá-lo. Não é tema específico para um juiz se pronunciar. Porém, do ponto de vista institucional, eu considero que mais grave do que o ataque ao Supremo é o país que não tem projeto adequado para a educação”, argumentou Barroso, conforme a matéria.

Como pontua o site, o vídeo da reunião foi divulgado após determinação do ministro do STF, Celso de Mello. Weintraub justificou que houve uma tentativa de deturpar sua fala para desestabilizar a nação, de acordo com a publicação.

Comentários