Política & Justiça

Estou com as armas da democracia na mão, diz Bolsonaro

Declaração de presidente foi dada um dia após ação da Polícia Federal (PF) que apura ocorrências relacionadas à fake news contra membros da Corte

diario da manha
(Arquivo) - Foto: AFP

Durante fala em frente ao Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (28) o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cobrou respeito ao Poder Executivo. Ele também pediu que “deixem o governo trabalhar”. As declarações de Bolsonaro foram dadas um dia após ação da Polícia Federal (PF) que apura ocorrências relacionadas à fake news contra membros da Corte. O inquérito foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são da agência Estadão Conteúdo e foram publicadas pela revista IstoÉ.

Conforme a reportagem, o presidente apontou que trabalhou até tarde ontem (27) para contornar a situação que colocou aliados sob a mira da PF.

Ele também defendeu a liberdade de expressão. No entanto, se negou a responder às perguntas dos jornalistas, como pontua a matéria.

Bolsonaro argumentou que Legislativo e Judiciário precisam ser “independentes”, mas apelou para que “não mergulhem o Brasil em uma crise política”, conforme destaca o site.

Segundo a publicação, o presidente acrescentou que a democracia é “sagrada”. Ele enfatizou, de forma exaltada, que busca a “paz, harmonia, independência e respeito”.

De acordo com a agência, Jair Bolsonaro também ressaltou que querem tirá-lo da “cadeira” de presidente. “Inventar factóides e fake news contra a minha pessoa para me tirar da minha cadeira: não vão tirar”.

Conforme o portal, Bolsonaro havia dito mais cedo que não admitirá “decisões individuais e monocráticas”, em um alerta velado ao STF.

“Acabou, porra!”, “Não dá para admitir mais atitudes de certas pessoas individuais, tomando de forma quase que pessoais certas ações”, “Não teremos outro dia igual ontem. Chega. Chegamos ao limite. Estou com as armas da democracia na mão”, foram algumas das frases declaradas pelo presidente.

Comentários