Política & Justiça

Bolsonaro afirma que se fosse possível privatizava hoje os Correios

Bolsonaro afirmou que quantidade de servidores nas estatais é um dos pontos que atrapalha a privatização das empresas públicas

diario da manha

Em meio as dificuldades para privatizar as empresas estatais do país, o presidente Jair Messias Bolsonaro (Sem partido) afirmou nesta terça-feira (7/1) que se pudesse privatizava os Correios hoje.

De acordo om o Bolsonaro, a venda de empresas estatais tem um impacto direto na vida de centenas de servidores, que representa um passivo muito grande para a união e que impede a venda das empresas públicas.

Para exemplificar a sua fala, Bolsonaro citou o caso dos Correios, Que com inúmeras dificuldades para operar, a empresa apenas deu prejuízo. “Queremos privatizar até os Correios, mas temos dificuldades, pois o monópolio que existiu até o ano retraso deu prejuízo”.

Presidente não deu prazo para privatização dos Correios

Embora tenha dado tais declarações, o presidente não deu um prazo para que a privatização dos Corrios seja feita. E que ainda encontra dificuldades junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), após o STF definir que a privatização das empresas mães tem que ser votadas pelo parlamento.

Na fala do presidente a dificuldade é ainda maior pelo grande número de servidores, e que tem que buscar uma solução para toda situação envolvendo a privatização, pois conforme Bolsonaro, o servidor precisa ter sua garantias.

Segundo presidente é preciso também encontrar o comprador, poie o Tribunal de Contas da União (TCU) está de olho em tudo e por isso os processos de privatizações não são fáceis.

*Com informações do Metrópoles

Comentários