Brasil

Ex-senador Luiz Estevão é isolado na Papuda após suposto assédio à agente penitenciária

A Secretaria de Segurança afirmou na última segunda-feira (5/8) que o isolamento de Luiz Estevão é uma medida administrativa disciplinar inicial, e que o suposto assédio à agente está sendo investigado.

diario da manha
Foto: Reprodução

O ex-senador Luiz Estevão que está preso no Complexo da Papuda, foi isolado dos demais presos pelo período de três dias, após supostamente ter assediado uma agente penitenciária da unidade. Conforme publicação de um jornal local, o senador cassado proferiu gracejos para a servidora.

A Secretaria de Segurança afirmou na última segunda-feira (5/8) que o isolamento de Luiz Estevão é uma medida administrativa disciplinar inicial, e que o suposto assédio à agente está sendo investigado.

Conforme informado pela Secretaria ao periódico após o procedimento de apuração, a direção da unidade vai avaliar se houve falta disciplinar e determinar com a vai ser a punição do preso.

Apesar do isolamento, o ex-senador aparece na lista dos próximos beneficiados do saidão que ocorre entre sexta-feira (9/8) e segunda-feira (12). No entanto, pelas regras da unidade, o preso que tiver cometido uma falta grave não pode ser liberado. Entretanto a Secretaria não se pronunciou sobre esse tema.

O advogado do Ex-senador Luiz Estevão negou as acusações de assédio

Por sua vez o advogado do ex-senador, Marcelo Bessa, negou que seu cliente assediou à servidora e que vai tratar do caso apenas na Justiça. Luiz Estevão cumpre pena atualmente no regime semiaberto e teria dito a uma agente da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais, que ela é “linda” no momento que esta chegava para o trabalho e assumir o posto de fiscalização do presídio.

Luiz Estevão foi condenado a 26 anos de prisão por fraudes na construção do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo. Além disso o ex-senador também responde por corrupção ativa, estelionado e peculato.

O ex-senador e empresário recorreu da sentença nas instâncias superiores e foi preso em março de 2016, 12 anos após sua condenação. Luiz Estevão conseguiu o direito de cumprir a pena no semiaberto, pois cumpriu um sexto da pena, ou seja o equivalente a três anos no regime fechado.

*Com informações do G1

Comentários