Política & Justiça

Aplicativo viraliza na busca de políticos corruptos

diario da manha

Mas deixa ao leitor a oportunidade de mirar a foto dos goianos com o celular e testar se eles são ou não identificados. Aponte seu celular na imagem e veja o que falam do seu representante

 

O Reclame Aqui, uma das iniciativas mais nobres da sociedade civil brasileira, resolveu juntar quem na vida prá­tica anda sempre lado a lado: polí­ticos e empresas. Detentora do site civil que mais pressiona as empre­sas que fazem do consumidor gato e sapato, o Reclame Aqui agora lançou o aplicativo Detector de Corruptos–um dos maiores suces­sos da internet de 2018 até agora.

Assim mesmo e direto: a par­tir do site www.detectordecortup­tos.com.br é possível detectar cor­ruptos e suspeitos de corrupção. Como o site já sabe que muitos políticos conseguem rapidamen­te desaparecer com processos ou arquivá-los, o detector do Institu­to Reclame Aqui aceitou a missão de expor os investigados, denun­ciados e, evidente, condenados para todo País. Claro: os políticos envergonhados com seus proces­sos já preparam liminares para se verem livres do aplicativo, censu­rarem o Instituto Reclame Aqui e dormirem em paz.

Através do detector é possível verificar processos em que os po­líticos estão realmente implica­dos, mas nem sempre condena­dos–aplica-se a mesma regra que vale para Lula, ainda não culpa­do à luz da Constituição Federal.

O melhor do Detector de Cor­ruptos é que os políticos são iden­tificados até mesmo por meio da fotografia. Ou seja, não adianta pintar cabelo, tirar bigode realizar outras façanhas para se esconder. Plástica de nada adianta. Um sim­ples traço e o corrupto será con­frontado com arquivos do big data do aplicativo que não para de cres­cer graças a um algoritmo fácil de manusear e através da colabora­ção popular – iniciativas como a do detector de corruptos não pa­ram de surgir graças ao espírito co­laborativo dos envolvidos na ideia de ciberdemocracia.

MUDANÇAS

No aplicativo, o usuário é con­vidado a ser mais proativo: “Co­mece a usar o app e mude a cara da política brasileira”. A iniciativa é suprapartidária. No site do vi­gie aqui, que hospeda o aplicati­vo, surgem várias explicações de metodologia e de como o leitor pode participar.

O político criminoso ou pro­cessado aparece com a expressão “Corrupção detectada” e uma lista com os processos – alguns goianos exigem até mesmo o uso da bar­ra de rolagem, tamanha a quanti­dade de falcatruas envolvidos. E mais: o app divulga o número do processo, para facilitar o acompa­nhamento do andar das decisões.

PLUGIN

O site do Instituto Reclame Aqui oferece também outro serviço: o plugin caça corrupto. Ele selecio­na e destaca em roxo políticos cri­minosos e suspeitos quando você está navegando. “Cor da Corrup­ção é uma ferramenta que desta­ca, em qualquer site, os nomes de políticos com pendências na Justi­ça. Com apenas 3 cliques, você ins­tala o plugin em seu navegador e pronto. Basta navegar normalmen­te que, sempre que o nome de um político condenado, processado ou investigado aparecer, o plugin grifa de roxo. Depois, é só passar o mou­se por cima do nome para conferir a ficha judicial do político”.

GOIANOS

Devido a vergonha alheia, o DM não vai expor os políticos goianos com condenações ou ob­jetos de processos que respondem na Justiça, mas vai recordar quem não está na lista, como um prêmio.

Dos senadores goianos, dois estão fora da detecção de corrup­tos. Uma foi detectada. No total, dos 20 parlamentares, nove estão na lista de corruptos. Ou seja, pra­ticamente a metade.

Os não detectados se orgulham disso e já divulgaram nas redes so­ciais. Tanto Wilder Morais quan­to Ronaldo Caiado, do Democra­tas, por exemplo, não aparecem com qualquer processo relacio­nado ao passado político–Caia­do tem quase 30 anos de manda­to, sendo quatro como senador, e Wilder dois anos como secretá­rio de governo e seis como sena­dor. Os legisladores fazem ques­tão de se apresentarem como fichas limpas onde quer que se encontrem. “Vocês po­dem ter certeza de uma coisa: jamais me verão envolvi­do em nada. Procuro ser muito certo nas coisas que faço”, diz Wilder.

Caiado, por sua vez, diz que apli­ca na política as mesmas regras do exercício da medicina: “Mi­nha missão foi cuidar das pessoas sempre. Não fiz medicina pra ficar rico. É vocação. Como a política”.

Dos deputados federais, oito es­tão na lista de corruptos – alguns são manchetes de grandes escân­dalos como Lava Jato e outros des­vios de destaque. E nove apresen­tam passado limpo conforme o detector. São eles: João Campos (PRB), Flávia Morais (PDT), Dele­gado Waldir (PSL), Thiago Peixoto (PSD), Heuler Cruvínel (PSD), Pe­dro Chaves (MDB), Giuseppe Vecci (PSDB), Lucas Vergílio (SDD) e Fá­bio Sousa (PSDB). Os demais que não estão aqui–inclusive um depu­tado federal que é ministro–foram detectados pelo aplicativo que bus­ca pegadas de corrupção.

A maioria dos crimes e ilícitos listados diz respeito a lavagem de dinheiro, corrupção e improbi­dade administrativa. Processos que seguem por segredo de Justi­ça, todavia, não aparecem no app, que, segundo os organizadores, detecta, por exemplo, um assassi­nato atribuído a um político, mas que opta em não identificá-lo.

 

 Reclame Aqui é entidade ilibada

O Detector de Corruptos iniciati­va do Reclame Aqui, é uma das ini­ciativas mais festejadas do momen­to. Para não estar nele o político tem que fazer muitas peripécias – como protocolar ações, liminares, reque­rer segredo de justiça e se esquivar com outras alternativas mais drásti­cas ou onerosas.

Nesta semana, o celebrado jurista e professor Modesto Carvalhosa, por exemplo, recomendouqueapopula­ção, antes de votar em outubro, bai­xe o aplicativo e avalie a foto do polí­tico e seu passado.

SANTINHOS

Até foto de santinho poderá ser usadaparaidentificarocriminoso(ou suspeito) quedesejasemanternapo­lítica. Já existem 850 políticos no ban­co de dados, mas até o final de agos­to a base será expandida para todos cargos – inclusive deputado estadual.

O Reclame Aqui informa que a meta é cobrir todos candidatos e mostrar a ficha de cada um de for­ma objetiva.

COMO BAIXAR

Através de qualquer smartphone é possível usar o programa. As lojas Android – tipo Play Store – e IOS fa­cilitam baixar o app, que é leve e de facílimo manuseio.

O site www.detectordecorrupcao. com.br pode também ser usado para baixar o arquivo.

 

Comentários