Politica

Bolsonaro diz que o Brasil tem que deixar de ser um país de maricas

Bolsonaro fez a afirmação durante discurso no Palácio do Planalto, em cerimônia de lançamento de um programa de turismo

diario da manha

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (10) que o Brasil tem que “deixar de ser um país de maricas” e enfrentar a pandemia de Covid-19 de “peito aberto”.

“Tudo agora é pandemia”, queixou-se Bolsonaro durante discurso no Palácio do Planalto, em cerimônia de lançamento de um programa de turismo.

Mais cedo, nesta terça, o consórcio de veículos de imprensa noticiou que o Brasil chegou a 162,6 mil mortes provocadas pela Covid-19 e a 5,67 milhões de casos confirmados. Mesmo assim, Bolsonaro diz que o Brasil tem que deixar de ser um ‘país de maricas’.

“Não adianta fugir disso, fugir da realidade. Tem que deixar de ser um país de maricas. Olha que prato cheio para a imprensa. Prato cheio para a urubuzada que está ali atrás. Temos que enfrentar de peito aberto, lutar. Que geração é essa nossa?”, indaga Bolsonaro

O presidente disse lamentar os mortos e voltou a afirmar que o destino de qualquer um é a morte.

“Acaba o auxílio emergencial em dezembro. Como ficam esses quase 40 milhões de invisíveis? Perderam tudo agora. O catador de latinha não tinha latinha para catar na rua, não tinha como vender biscoito Globo na praia, não tinha como vender um mate no estádio de futebol. Tudo agora é pandemia. Tem que acabar com esse negócio, pô. Lamento os mortos, lamento, mas todos nós vamos morrer um dia. Aqui, todo mundo vai morrer”, declarou Bolsonaro.

Desde o início da pandemia, Bolsonaro costuma fazer declarações que contrariam a ciência. Ele sempre se manifestou a favor da abertura do comércio e contra o uso da máscara.

O presidente também costuma promover eventos que geram aglomeração, outra situação que, conforme as autoridades de saúde, pode ajudar a disseminar ainda mais o novo coronavírus.

Comentários