Opinião

Bento XVI afirma que casamento gay é obra do anticristo

O religioso Joseph Ratzinger, que está 93 anos, alega que exite uma “distorção maligna da realidade”

diario da manha

O ex-líder supremo da igreja no mundo, Papa Bento XVI, voltou a criticar  casamento entre pessoas do mesmo sexo em uma biografia autorizada que foi publicada na Alemanha.

O religioso Joseph Ratzinger, que está 93 anos, alega que exite uma “distorção maligna da realidade”, no livro “Bento XVI – Uma Vida”,  que inclui algumas entrevistas, e teve vários trechos divulgados  pela imprensa alemã e pela agência de notícias DPA.

Em sua biografia publicada nesta segunda-feira, Bento reafirma a sua oposição ao casamento gay.

“Há um século seria considerado absurdo falar sobre casamentohomossexual. Hoje, quem se opõe a ele é excomungado da sociedade. Acontece a mesma coisa com o aborto e a criação de vida humana em laboratório”,  afirma.

Joseph disse que  por isso, é “apenas natural” que as pessoas “temam o poder espiritual do anticristo”.

Bento XVI, que foi papa entre 2005 e 2013,e é acusado de tentar sabotar os esforços de modernização da Igreja de seu sucessor, o papa Francisco.

Na alemanha, ele é muito criticado pelos clérigos considerados reformistas que comandam a Igreja Católica, por expôr suas opiniões  sobre o islã ou questões sociais.

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais