Opinião

Você sabe o que é disfagia?

diario da manha

A dis­fa­gia é o ter­mo que se re­fe­re à di­fi­cul­da­de de en­go­lir, é a sen­sa­ção do ali­men­to “pa­ra­do” na gar­gan­ta. Ela pro­vo­ca tos­se, en­gas­go e di­fi­cul­da­de pa­ra mas­ti­gar, po­den­do le­var à des­nu­tri­ção, à de­si­dra­ta­ção e, nos ca­sos mais gra­ves, até à mor­te.

Da­dos do Mi­nis­té­rio da Sa­ú­de mos­tram que, no Bra­sil, a prin­ci­pal cau­sa de mor­te é o aci­den­te vas­cu­lar en­ce­fá­li­co (AVE) e a com­pli­ca­ção mais fre­quen­te des­sa do­en­ça é a dis­fa­gia, se­ja na fa­se agu­da ou de re­cu­pe­ra­ção.

A dis­fa­gia po­de ser de­cor­ren­te de ou­tras do­en­ças neu­ro­ló­gi­cas co­mo Alzhei­mer, Parkin­son ou ain­da em de­cor­rên­cia de tu­mo­res, más-for­ma­ções con­gê­ni­tas, sín­dro­mes neu­ro­ló­gi­cas, trau­ma­tis­mos crâ­nio en­ce­fá­li­cos (TCE), trau­mas de fa­ce, quei­ma­du­ras ou pe­lo pro­ces­so de en­ve­lhe­ci­men­to – nes­te ca­so, de­no­mi­na­da pres­bi­fa­gia.

Fi­que aten­to quan­to às ques­tões a se­guir e ve­ja se vo­cê se iden­ti­fi­ca: Meu pro­ble­ma pa­ra en­go­lir me faz per­der pe­so? Meu pro­ble­ma pa­ra en­go­lir não me dei­xa co­mer fo­ra de ca­sa? Pre­ci­so fa­zer for­ça pa­ra be­ber lí­qui­dos? Pre­ci­so fa­zer for­ça pa­ra en­go­lir co­mi­da (só­li­dos)? Pre­ci­so fa­zer for­ça pa­ra en­go­lir re­mé­dio? Dói pa­ra en­go­lir? Meu pro­ble­ma pa­ra en­go­lir me ti­ra o pra­zer de co­mer? Fi­co com co­mi­da pre­sa/en­ta­la­da na gar­gan­ta? Eu tus­so quan­do co­mo? Meu pro­ble­ma pa­ra en­go­lir me dei­xa es­tres­sa­do? Se vo­cê se iden­ti­fi­cou, pro­cu­re uma equi­pe de sa­ú­de: o quan­to an­tes bus­car aju­da mais chan­ce de su­ces­so no tra­ta­men­to.

Den­tro da equi­pe de sa­ú­de, o fo­no­au­di­ó­lo­go ocu­pa lu­gar de des­ta­que na ava­li­a­ção e tra­ta­men­to das dis­fa­gi­as. Es­se pro­fis­si­o­nal, além de iden­ti­fi­car a dis­fun­ção, pro­mo­ve­rá mé­to­dos e téc­ni­cas de in­ter­ven­ção fo­no­au­di­o­ló­gi­ca ade­qua­das pa­ra me­lho­rar sua qua­li­da­de de vi­da. Ele de­fi­ni­rá a me­lhor via de ali­men­ta­ção e a me­lhor con­sis­tên­cia ali­men­tar pa­ra ca­da ca­so e con­ce­de­rá ori­en­ta­ções pa­ra a se­gu­ran­ça na ali­men­ta­ção.

Con­fi­ra al­gu­mas di­cas so­bre ali­men­ta­ção se­gu­ra da So­ci­e­da­de Bra­si­lei­ra de Fo­no­au­di­o­lo­gia: ali­men­te-se em po­si­ção con­for­tá­vel, de pre­fe­rên­cia sen­ta­do, em rit­mo e ve­lo­ci­da­de se­gu­ros; evi­te dis­tra­ções (con­ver­sar en­quan­to es­tá en­go­lin­do, as­sis­tir TV, ou­vir rá­dio, per­ma­ne­cer em am­bi­en­te ba­ru­lhen­to etc.). Se pre­sen­ci­ar al­guém en­gas­gan­do, nun­ca ofe­re­ça água ou co­lo­que o de­do na gar­gan­ta da pes­soa – dei­xe-a tos­sir e, ca­so vo­cê não se­ja trei­na­do pa­ra re­a­li­zar ma­no­bras de pri­mei­ros so­cor­ros, pro­cu­re ra­pi­da­men­te al­guém ha­bi­li­ta­do.

 

(Ana Pau­la Al­ves de Mo­ra­is, fo­no­au­di­ó­lo­ga, res­pon­sá­vel téc­ni­ca (RT) do se­tor de Fo­no­au­di­o­lo­gia do Hugol)

 

tags:

Comentários