Opinião

Empresa de sucesso, equipe bem treinada

diario da manha

A com­pe­ti­ti­vi­da­de do mer­ca­do é um de­sa­fio a ser su­pe­ra­do cons­tan­te­men­te pe­las em­pre­sas. En­ga­na-se quem acha que as mai­o­res são as de mais su­ces­so. O pro­ces­so de cres­ci­men­to en­glo­ba in­ves­ti­men­tos não só em es­tru­tu­ra e ino­va­ções, mas no trei­na­men­to de pes­so­as. Não bas­tam ter os me­lho­res re­cur­sos, as fer­ra­men­tas mais mo­der­nas e uma es­tru­tu­ra im­pe­cá­vel se, in­ter­na­men­te, os co­la­bo­ra­do­res não es­tão em sin­to­nia e nem acom­pa­nham es­sa evo­lu­ção.

Ape­sar de a tec­no­lo­gia es­tar avan­çan­do em al­tís­si­ma ve­lo­ci­da­de, o que sus­ten­ta as em­pre­sas são as pes­so­as. São elas que es­tão por trás de to­dos os pro­ces­sos e em con­ta­to di­re­to com o pú­bli­co, to­man­do as me­lho­res es­co­lhas e de­ci­sões. E, quan­do atuam em equi­pe, o de­sen­vol­vi­men­to das ati­vi­da­des se tor­na mui­to mais sim­ples e o com­pro­me­ti­men­to com o tra­ba­lho é ga­ran­ti­do.

É cla­ro que os no­vos re­cur­sos e softwa­res ca­da vez mais mo­der­nos, com di­fe­ren­tes fun­ções e que pro­por­ci­o­nam fa­ci­li­da­des pa­ra o usu­á­rio, ins­ti­gam as em­pre­sas. Re­du­ção de cus­to, prin­ci­pal­men­te com pa­pe­la­ria, des­bu­ro­cra­ti­za­ção de pro­ces­sos, mai­or se­gu­ran­ça e pos­si­bi­li­da­de de ex­pan­são são al­guns be­ne­fí­ci­os ge­ra­dos pe­la im­plan­ta­ção de uma no­va fer­ra­men­ta. Mas o in­ves­ti­men­to vai além.

Acos­tu­ma­dos a uti­li­zar inú­me­ras pla­ni­lhas e ar­qui­vos pa­ra or­ga­ni­zar a ges­tão da em­pre­sa, em um pri­mei­ro mo­men­to, a mu­dan­ça pa­ra um sis­te­ma au­to­ma­ti­za­do e tec­no­ló­gi­co po­de ge­rar con­fli­to e que­da no de­sem­pe­nho dos co­la­bo­ra­do­res. Co­mo? Por fal­ta de ca­pa­ci­ta­ção e de pre­pa­ro pa­ra ope­rar um no­vo sis­te­ma.

Es­se des­pre­pa­ro de fun­cio­ná­rios re­fle­te em seu pró­prio de­sem­pe­nho e, con­se­quen­te­men­te, nos re­sul­ta­dos da em­pre­sa. Pen­san­do de um mo­do ge­ral, a ca­pa­ci­ta­ção dos co­la­bo­ra­do­res ge­ra be­ne­fí­cio mú­tuo: pa­ra os pró­prios fun­cio­ná­rios, que se sen­tem mais mo­ti­va­dos pa­ra exer­cer su­as fun­ções e con­se­guem atin­gir as me­tas es­ta­be­le­ci­das, e pa­ra as em­pre­sas, que con­se­guem po­ten­ci­a­li­zar os re­sul­ta­dos, agra­dar e fi­de­li­zar os cli­en­tes e se tor­nam re­co­nhe­ci­das pe­la ex­ce­lên­cia no tra­ba­lho

Uma or­ga­ni­za­ção que se mos­tra pre­o­cu­pa­da com de­sen­vol­vi­men­to de seus co­la­bo­ra­do­res, que pro­pi­cia um am­bi­en­te fa­vo­rá­vel à dis­cus­são e tro­ca de in­for­ma­ções e que es­ti­mu­la o cres­ci­men­to pro­fis­si­o­nal e pes­so­al dos fun­cio­ná­rios con­se­gue o tão es­pe­ra­do su­ces­so.

Pre­sen­ci­ais ou on­li­nes, com es­pe­cia­lis­tas re­no­ma­dos ou com um ges­tor da pró­pria em­pre­sa, os trei­na­men­tos e ca­pa­ci­ta­ções nun­ca dei­xa­rão de ser gran­des in­ves­ti­men­tos no meio cor­po­ra­ti­vo. Uma equi­pe bem trei­na­da ele­va o nú­me­ro de ino­va­ções na em­pre­sa, e não só em ques­tões tec­no­ló­gi­cas, mas em idei­as e me­lho­ri­as que ve­nham a de­sen­vol­ver e aju­dar no cres­ci­men­to da or­ga­ni­za­ção co­mo um to­do.

 

(Már­cio Vi­a­na é CEO da TOTVS Cu­ri­ti­ba)

tags:

Comentários