Mundo

Tratamento contra a malária demonstra eficácia contra coronavírus

diario da manha
Foto: Reprodução

Um cidadão norte-americano é o primeiro participante de um ensaio clínico que pretende testar um medicamento antiviral contra o coronavírus.

Segundo os responsáveis norte-americanos, o medicamento remdesivir foi desenvolvido pela farmacêutica norte-americana Gilead Sciences e está a ser testado no Centro Médico da Universidade do Nebraska, em Omaha.

Outros investigadores garantem que um tratamento usado na luta contra a malária e o paludismo se mostra eficaz no combate ao Covid-19.

“Sabíamos que a cloroquina era eficaz in vitro contra este novo coronavírus e a avaliação clínica na China confirmou-o”, afirmou Didier Raoul, referindo-se a um estudo feito por três investigadores chineses, Jianjun Gao, Zhenxue Tian e Xu Yang, da universidade de Qingdao e do hospital de Qingdao.

A investigação foi publicada pela revista BioScience Trends e teve como base um ensaio clínico realizado em mais de dez hospitais chineses nas cidades de Wuahn epicentro do surto, Pequim e Xangai.

O objetivo era medir “a eficácia da cloroquina no tratamento de pneumonias associadas à COVID-19.

“Os resultados obtidos até agora em mais de 100 pacientes, demonstraram que o fosfato de cloroquina era mais eficaz que o tratamento administrado ao grupo comparativo, para conter a evolução da pneumonia, para melhorar o estado dos pulmões, para que o paciente se torne de novo negativo ao vírus e para reduzir a duração da doença”, concluíram os investigadores chineses, sendo que o estudo não quantifica a diferença da eficácia.

O artigo, segundo a imprensa internacional, recorda ainda que a “cloroquina é um medicamento barato e seguro, usado há mais de 70 anos”. Para os investigadores chineses, um tratamento diário de 500 mg de cloroquina por um período de dez dias é o suficiente para curar as infeções por Covid-19.

Bruce Aylward, médico canadiano especialista em emergência, saudou ainda o trabalho desenvolvido por Pequim para conter a doença. “Se tiver Covid-19, quero ser tratado na China”, disse, a título de exemplo, reforçando: “A China sabe como manter vivas as pessoas com coronavírus.”

LEIA TAMBÉM

Comentários