Mundo

Graças a uma "self" jovem descobre ter sido roubada na maternidade

diario da manha
Foto: Divulgação

Em abril de 1997, a jovem Miché Solomon, de 17 anos, foi roubada com apenas três dias de vida por uma mulher vestida de enfermeira, em um hospital da Cidade do Cabo, na África do Sul. E graças a uma “self” descobriu sua verdadeira identidade.

Hoje, depois de 4 anos, a história da jovem pode ser conferida no Que História!, podcast da BBC News Brasil, apresentado por Thomas Papponon.

Tudo começou em janeiro de 2015, quando, em seu primeiro dia letivo Miché Solomon conheceu uma nova aluna, três anos mais jovem, Cassidy Nurse e todos da escola ficaram espantados com a semelhança entre as duas.

Segundo as jovens a ligação entre elas foi imediata e desde então passaram a ser amigas e a andarem sempre juntas. A foto que mudaria o destino das duas foi tirada durante as competições esportivas da escola.

Quando Miché e Cassidy chegaram em suas respectivas casas mostraram a foto para suas famílias. Os pais de Cassidy se surpreenderam com a semelhança das garotas e pediu a filha que perguntasse a sua amiga se ela teria nascido no dia 30 de abril de 1997.

A resposta confirmou as suspeitas dos pais de Cassidy. Durante uma aula de matemática as garotas foram chamada a sala do diretor e ouviram de duas assistentes sociais a história de uma menina de três dias chamada Zephany Nurse, que havia sido sequestrada no Hospital Groote Schuur, na Cidade do Cabo, há 17 anos, e que nunca fora encontrada.

Em seguida, as assistentes sociais explicaram que existia fortes evidências de que Miché poderia ser a criança que havia sido roubada. O teste de DNA confirmou a relação de parentesco de Miché e Cassidy.

Lavona Solomon, mulher que roubou Miché, foi condenada em 2016 a dez anos de prisão por sequestro, fraude e violação do Estatuto das Crianças.

*Com informações da BBC Brasil

Comentários