Meio Ambiente

Vice-presidente afirma ser contra a inclusão do Pantanal no Conselho da Amazônia

Mourão comanda o Conselho Nacional da Amazônia Legal e acredita ser melhor que o bioma continue sob a responsabilidade do Meio Ambiente

diario da manha

Hamilton Mourão, vice-presidente da República (PRTB), declarou, nesta terça-feira (13), que as ações de preservação do Pantanal devem continuar com o Ministério do Meio Ambiente.

A comissão temporária que acompanha o enfrentamento aos incêndios no bioma pediu que o Pantanal fosse incluído no Conselho Nacional da Amazônia Legal, presidida por Mourão.

“Eu acho que a questão do Pantanal, em questão de tamanho, ela é mais simples que a Amazônia, é mais uma ligada a preservação, a Amazônia tem outros problemas, principalmente de desenvolvimento. São duas áreas bem distintas”, afirmou.

O pedido de inclusão do Pantanal no Conselho foi feito pela senadora Simone Tebet (MDB-MS), que sugeriu ao presidente da República colocar a tutela do ecossistema entre as atribuições da entidade até 2025. A indicação segue agora para a presidência do Senado.

Segundo o site Metrópoles, durante sessão online no Senado, Tebet citou a experiência de Mourão nas Forças Armadas e disse ser preciso uma autoridade para coordenar os esforços na região em períodos de seca, quando ocorrem as queimadas.

“É fundamental uma autoridade para poder acionar no momento certo, nos próximos quatro anos, que serão de muita estiagem, seca e queimada no Pantanal, todas as forças necessárias para prevenirmos e anteciparmos qualquer catástrofe ambiental no sentido de queimadas”, reforçou a senadora.

“É um caso que tem que ficar afeto ao Ministério do Meio Ambiente, porque é uma questão de preservação ambiental, só isso. Amazônia é Amazônia, Pantanal é Pantanal, mas tudo depende das decisões que forem tomadas. A gente cumpre a decisão que for tomada”, declarou Mourão.

Comentários