justiça

Identificado o corpo de homem achado morto em caçamba

De acordo com as investigações, Westemberg Marques da Silva havia caído em uma armadilha, arquitetada para roubar o dinheiro de um empréstimo que ele havia conseguido

diario da manha

A Polícia Civil do Distrito Federal identificou quem era o homem morto e deixado em uma caçamba de lixo. De acordo com as investigações, Westemberg Marques da Silva havia caído em uma armadilha, arquitetada para roubar o dinheiro de um empréstimo que ele havia conseguido. O crime aconteceu em Ceilândia, no estacionamento da QNN 29, no dia 22 de fevereiro.

Quem conduz as investigações é a 19° Delegacia de Polícia, contudo a corporação já concluiu que o crime foi arquitetado por três homens e duas mulheres, pois sabiam que a vítima estava com R$ 1,2 mil. O homem havia sacado o dinheiro poucas horas antes do crime, o que levou os suspeitos a convida-lo para uma suruba como forma de armação.

De acordo com o delegado Thiago Peralva, uma das mulheres seduziu a vítima para que ele fosse até a residência dela participar de uma festa. A promessa é que durante a festa rolaria sexo e drogas. Já na casa, Westemberg foi agredido e morto por asfixia.

Segundo os policiais, no local foram encontrados fios semelhantes aos que foram utilizados para amarrar a vítima. Havia também o capacete de Westemberg e sangue do mesmo. Os suspeitos ficaram tanto com o dinheiro quanto com a moto d vítima.

Um dia após o crime, três envolvidos levaram o corpo para o contêiner de lixo onde foi encontrado. No local haviam câmeras de segurança que flagraram a ação dos criminosos. Westemberg foi encontrado com os pés e as mãos amarradas e enrolado em cinco cobertores. Quem achou o corpo foi um morador de rua que foi mexer no lixo para pegar o cobertor.

A polícia cumpriu três mandados de prisão preventiva, além de indiciar os cinco envolvidos. Todos os envolvidos respondem pelos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver.

Comentários