Internacional

Professor decapitado foi denunciado por pais revoltados

diario da manha

A capital francesa amanheceu chocada neste sábado (17), após a um professor de história ser decapitado, após exibir caricaturas de Maomé durante uma aula sobre liberdade de expressão. O crime é tratado como terrorista islamita pelas autoridades francesas, ocorreu na tarde desta sexta-feira (16).

O professor foi identificado como Samuel Paty, de 47 anos, segundo as testemunhas que estavam ao redor ele fez a exibição das caricaturas do jornal satírico Charlie Hebdo durante a aula, e isso e crime.

O Presidente francês, Emmanuel Macron declarou na noite desta sexta-feira, em visita ao local do ataque que o professor foi morto porque ensinava a liberdade de expressão, a liberdade de acreditar ou não.

Macron diz que Todos nós estaremos juntos. Não passarão, o obscurantismo e a violência que o acompanha não vencerão.

Comentários