Internacional

Tensões da China com outras potências mundiais

O que ocorre por trás das tensões, retaliações, boicotes e conflitos com diversos países

diario da manha

Xijiang é um local de conflito entre o governo chinês e um movimento separatista dos uigures, classificados pelas autoridades chinesas como terroristas.

A China reconheceu ter criado centros de “reeducação” na região, onde uigures têm aulas sobre nacionalismo chinês e contra “pensamentos extremistas”.

Segundo ativistas de direitos humanos, afirmam que os centros são na verdade prisões, onde mais de 1 milhão de uigures estariam detidos de forma arbitrária, sem julgamento.

Conforme matéria do G1, a crise dos uigures não é apenas um problema doméstico do governo. Recentemente, episódios como esse passaram a agravar tensões internacionais da China com outras potências globais, sobretudo no Ocidente.

Nas últimas décadas, o crescimento da China como potência mundial aumentou os laços políticos e econômicos do país com o resto do mundo.

Mas, desde a eleição de Donald Trump nos Estados Unidos em 2016, que passaram a adotar uma retórica contrária ao governo de Pequim, e houve uma mudança nas relações da China com vários países.

Especialistas dizem que a Casa Branca está subindo tom de sua campanha contra Pequim, em um momento em que Trump está em campanha pela sua reeleição.

Na quarta-feira, os EUA ordenaram o fechamento do consulado chinês em Houston, acusando chineses de roubarem propriedade intelectual. Os chineses criticaram a medida e disseram ter recebido ameaças de morte e, nesta sexta-feira (22), fecharam a representação americana em Chengdu, em retaliação.

Comentários