Internacional

O ator Daniel Dae Kim é diagnosticado com coronavírus e pede o fim do racismo anti-asiático

Ator de Hawaii Five-0 e Lost, Kim compartilhou um vídeo em seu Instagram comentando sobre os impactos do coronavírus

diario da manha
PARK CITY, UT - JANUARY 26: Actor Daniel Dae Kim attends the Latinx House Blast Beat Dinner on January 26, 2020 at Latinx house in Park City, Utah. (Photo by Mat Hayward/Getty Images for The Latinx House)

O ator norte-americano Daniel Dae Kim anunciou na última quinta-feira (19) que testou positivo para coronavírus. O ator é conhecido pelos seus papeis em Hawaii Five-0 e Lost, compartilhou a notícia em um vídeo publicado em seu Instagram, que também pede pelo fim do racismo anti-asiático.

Ele havia filmado a série New Amsterdam na cidade de Nova York nas últimas semanas antes de o programa suspender a produção devido a ameaça do vírus. Ele estava interpretando um médico trabalhando para responder a uma pandemia de gripe.

Kim, 51 anos, alegou que se sentiu mal ao voltar para casa em um voo e depois começou a sentir aperto no peito, dores no corpo e febre. Ele disse que desde o retorno se auto-isolou, deixando apenas para ir a um instalação de testes de coronavírus em Honolulu.

O ator explicou que, apesar de ter sido diagnosticado com COVID-19, ele não precisou ir ao hospital e começou a se sentir melhor. A família dele deu negativo para o vírus.

Xenofobia e o racismo anti-asiático após surgir a crise do coronavírus

Kim também se manifestou contra a xenofobia e o racismo anti-asiático que surgiram no início da crise do coronavírus pedindo que parem com o preconceito e com a violência sem sentido contra o povo asiático.

 “Idosos que batem aleatoriamente, às vezes asiáticos sem-teto são covardes, comoventes e indesculpáveis.” Esses ataques de racismo anti-asiático foram relatados em Los Angeles, Nova York e outras cidades ao redor do mundo.

Nascido na Coréia do Sul, mas criado nos EUA, Kim também abordou a decisão do presidente Donald Trump de se referir ao COVID-19 como “o vírus chinês”, que muitos consideram racista. Uma imagem dos comentários organizados pelo presidente na última quinta mostra que a palavra “coroa” riscou e foi substituída por “chinês”.

“Sim, eu sou asiático. E sim, eu tenho coronavírus. Mas não consegui da China, consegui na América. Na cidade de Nova York ”, alegou Kim no vídeo do Instagram. “Se eu fizesse, eu chamaria isso de ‘vírus de Nova York’, mas isso seria bobo, certo?” Ele continuou.

Estrelas como Tom Hanks e Idris Elba também anunciaram que contraíram o vírus. Até a noite da última quinta, foram registrados pelo menos 242.191 casos confirmados e pelo menos 9.843 mortes por vírus em todo o mundo, de acordo com um rastreador da Universidade Johns Hopkins.

Aliviado, Kim agradeceu seus amigos, familiares e fãs pelo apoio. “Sou grato por estar vivo e saudável, isso me dá esperança de que, através de nossos esforços coletivos, possamos vencer essa situação e achatar a curva”.

*Com informações da Time

Comentários