Cotidiano

Total de mortos pelo coronavírus sobe para 25 na China

O número de mortes decorrentes de infecção pelo novo tipo de coronavírus detectado na China aumentou para 25, segundo informaram hoje (23) autoridades chinesas. O total de pessoas afetadas já é superior a 610. Em Belo Horizonte (MG) a Secretaria de Saúde investiga suspeita do primeiro caso de coronavírus no Brasil.

diario da manha
Foto: Reprodução

O número de mortes decorrentes de infecção pelo novo tipo de coronavírus detectado na China aumentou para 25, segundo informaram hoje (23) autoridades chinesas. O total de pessoas afetadas já é superior a 610. Duas cidades chinesas estão atualmente em quarentena.

Além da Wuhan, também foi isolada Huanggang, a cerca de 65 quilômetros. Nessas duas cidades chinesas em quarentena, os transportes públicos foram suspensos e os restaurantes, os cinemas e diversos espaços públicos foram fechados, de forma a evitar a propagação do vírus.

Integrante de uma equipe de especialistas a serviço de órgãos governamentais de saúde da China, Gao Zhancheng informou que é, em média, de sete dias o período de incubação do novo coronavírus, considerado o causador do surto de pneumonia no país.

O médico explicou que os sintomas confirmados até o momento são principalmente febre e tosse seca. Acrescentou que pacientes passaram a ter falta de ar e dor no peito de três a cinco dias após o início da infecção. Alguns tiveram problemas respiratórios ou outros sintomas.

Belo Horizonte

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais investiga suspeita do primeiro caso de coronavírus no Brasil. Trata-se de uma mulher brasileira de 35 anos que esteve recentemente na cidade chinesa de Xangai e desembarcou em Belo Horizonte no dia 18 de janeiro com sintomas respiratórios

O caso é tratado como suspeito e não como uma confirmação. A paciente foi levada ao Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, e as medidas assistenciais para redução de risco foram tomadas. Segundo a secretaria, a paciente está clinicamente estável.

Os exames para confirmar ou descartar a doença serão analisados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, pois necessitam de kit específico para identificar o novo micro-organismo.

Comentários

Mais de Cotidiano