Esportes

Atlético-GO vira sobre Aparecidense e vai à final do Goianão

Camaleão teve um pênalti a favor, mas parou em Jean. Dragão espera o classificado de Jaraguá x Goianésia na decisão

diario da manha
Zé Roberto marcando o gol que colocou o Dragão na final do Goianão (Foto: Douglas Schinatto/O Popular)

O Atlético-GO é o primeiro finalista do Campeonato Goiano 2020. O Dragão passou pela Aparecidense na semifinal do estadual na tarde desta quarta (17) no Antônio Accioly pelo placar de 2×1. Ricardo Lima colocou o Camaleão na frente. Janderson e Zé Roberto viraram para os donos da casa. O rubro-negro agora só tem mais dois jogos para empatar com o Vila Nova em números de títulos estaduais.

O Atlético aguarda o vencedor de Jaraguá e Goianésia, que se enfrentam às 15h30 desta quinta no Amintas de Freitas, em Jaraguá. A equipe goianiense terá a vantagem de decidir em casa no próximo dia 28 por ter a melhor campanha. Ao Camaleão resta se preparar para a disputa do estadual de 2021, que começa também no dia 28 de fevereiro. 

O primeiro tempo foi aberto. O Atlético-GO tinha a maior posse e rondava a área da Aparecidense tentando achar um espaço, mas com a defesa adversária bem postada não teve muitas oportunidades. Os visitantes, sem medo, também se lançaram ao ataque e levaram perigo ao rubro-negro. 

Janderson foi um dos jogadores com maior presença ofensiva no time do Atlético e a primeira chance dos donos da casa veio de seus pés. Aos dez, o ponta recebeu de Wellington Rato e bateu com perigo. 

Os visitantes responderam quatro minutos depois com Édipo, completando de cabeça o cruzamento de Albano no escanteio, tirando tinta da trave Jean. O gol veio três minutos depois, aos 17. Albano cobrou falta na área e Ricardo Lima subiu mais que todo mundo para colocar a Aparecidense à frente do placar. 

Com a vantagem, o Camaleão se retraiu. Ficou atrás da linha da bola, deixando o Atlético comandar o jogo e esperando o contra-ataque. A equipe de Aparecida de Goiânia até tentou segurar a pressão rubro-negra, mas não conseguiu. Aos 44 Janderson – que no minuto anterior tinha perdido um lance incrível – empatou a partida, aproveitando o rebote do goleiro no chute de Nicolas.

Na segunda etapa tudo mudou. A partida, que estava até os 11 minutos morna, tomou outros contornos depois que a Aparecidense ficou com um a menos logo aos 11 minutos. Lucas fez falta em Matheus Vargas e o VAR, usado pela primeira vez no Campeonato Goiano, viu lance para cartão vermelho e chamou a arbitragem, que concordou e expulsou o jogador. 

O árbitro de vídeo novamente entrou em ação cinco minutos depois, recomendando revisão no lance em que Rafael Cruz chuta e a bola desvia no braço de Nicolas. Elmo Resende viu e marcou a penalidade. Na cobrança, Rodriguinho parou em Jean e perdeu a chance de recolocar a Aparecidense em vantagem.

O Atlético não perdoou. Com um a mais, foi para cima e fez o jogo se tornar um treino de ataque contra defesa. Os visitantes pouco saíam para o ataque e os donos da casa empilhavam erros em chances claras de gol, até que a virada veio aos 23 minutos. Marlon Freitas deu bom passe para Zé Roberto, que bateu forte no ângulo de Tonny. 

Com a virada e o placar garantido, o Atlético pouco fez – além de continuar perdendo gols. A Aparecidense, sem forças, até tentou, mas não foi párea para o Dragão, que tentará seu 15º título goiano no próximo dia 28 de fevereiro.

Comentários