Esportes

Lágrimas para José Martinez Ruiz

Vila Nova Futebol Clube está de luto com a morte do velho dirigente colorado, aos 83 anos

diario da manha
Foto: Divulgação

Renato Dias

Até os 11 minutos do segundo tempo, o Vila Nova Futebol Clube perdia por 3 a zero e possuía um jogador a menos. O meia  Verona havia sido expulso. Ainda no primeiro tempo. Anderson Barbosa fez um, dois gols. Aos 19 minutos do segundo tempo, o zagueiro Leonardo Valença, do meio de campo, viu Adinam adiantado e chutou um balaço, para estufar as redes do maior rival do colorado. O coração do empresário José Martinez Ruiz estava dentro da bola. O Tigrão virou o jogo para cinco a três. A virada do século. Em 28 de março de 1999. Conselheiro grão-benemérito da maior paixão do Centro-Oeste do Brasil, ele morreu nesta quinta-feira, às 3h da madrugada. Após sofrer parada cardíaca. A suspeita é que tenha sido vítima do Coronavírus. 

Aos 83 anos de idade, José Martinez Ruiz era um homem mais velho do que o clube de futebol de Goiânia que ajudou a consolidar. O chamado ‘Tigre da Vila Famosa’ nasceu em 29 de julho de 1943 e completou, em 2020, 77 anos de História. Com dois títulos nacionais, 15 estaduais, a primeira agremiação esportiva de Goiás a participar de uma competição nacional, em 1963, o primeiro tricampeão da Era Profissional _ 1961, 1962, 1963_, o primeiro tetracampeão _ 1977, 1978, 1979, 1980_, o primeiro goiano a participar de uma competição internacional, a Conmebol, no ano de 1999, e dono do maior público do Estádio Serra Dourada, dos últimos dez anos, de 2010 a 2020, 45 mil pessoas – Vila Nova versus Londrina. O mais jovem da capital. 

Lacuna

José Martinez Ruiz deixa lacunas. Como o atacante Fernandinho. Morto de câncer. Eterno ponta-direita do Vila Nova Futebol Clube. O jogador que trocou passes com o Rei Pelé. No mágico time principal do Santos Futebol Clube, em 1974. Ele será homenageado com uma camisa retrô. Do ano de 1977. O primeiro da escalada para o tetracampeonato. Com um autógrafo post morten  do ídolo. O presidente-executivo da agremiação esportiva, graduado em Direito, oficial da Polícia Militar do Estado de Goiás, [PM-GO], capitão da Rotam, Hugo Jorge Bravo, deverá solicitar um minuto de silêncio. Antes do início da partida oficial, neste sábado, às 17h, em Goiânia, contra o Paysandu, do Pará. Em memória do dirigente vilanovense. Triste.

_ José Martinez Ruiz, presente!

_ Fernandinho, presente!

Comentários