Esportes

Técnico Vagner Mancini assume o comando do Atlético

A estreia do técnico foi em 2005, com a conquista inédita da Copa do Brasil pelo Paulista de Jundiaí

diario da manha

O técnico que comandou o Atlético Esporte Clube, que se consagrou em 2019 campeão da Série B, o treinador Wagner Lopes, acompanha de perto Vagner Mancini, que agora está a frente do Dragão.

Na década de 90, atuaram juntos no time do Honda, do Japão, e durante a participação na companhia do amigo já apostava em seu futuro, muito talentoso apresentava potencial para ser um grande técnico de referência no futebol brasileiro.

“Tive a oportunidade de conhecer o jogador Vagner Mancini, em território japonês. Durante os momentos que dividíamos as mesmas linhas de ataque, ele demonstrava uma personalidade marcante, um líder nato. Se posicionava no campo como capitão e eu sempre falava, você ainda vai ser um excelente treinador, pois quando estava entre as quatro linhas do campo, ele cobrava um bom desempenho de todos em relação ao que havíamos treinado. Era uma pessoa muito dedicada e focada tecnicamente”, conta Wagner Lopes, que foi o auxiliar técnico de Mancini em 2005.

“Uma façanha totalmente exclusiva diria eu surpreendente conquistar para cidade de Jundiaí a inédita Copa do Brasil pelo Paulista. O meu sentimento é de total reconhecimento e gratidão pelo Vagner. Compartilhei muitos ensinamentos em minha rotina no clube, foi muito importante para refletir em minha carreira. Agora velo na direção do Atlético e espero que ele seja totalmente feliz e que contribua com um grande trabalho. Suas passagens em times foram marcadas por bons relacionamentos internos e ele é muito focado em suas tarefas de trabalho”, explicou o ex – técnico rubro-negro.

O último trabalho de Wagner Lopes foi no Botafogo de Ribeirão Preto durante o Paulistão 2020. Embora, as barreiras de estruturação do elenco fossem dificuldades enfrentadas consequências de pouco capital de investimento, que acabaram resultando em uma participação sem visibilidade.

“Foi um trabalho muito árduo. A formação do elenco foi extremamente delicada. O Botafogo é um clube tem tem mais de cem anos de história, tradicional bastante reverenciado pelos seus torcedores. A comissão que faz parte atualmente é competente para manter a essência do renome centenário, mas diante dos referidos problemas financeiros que refletem em direção da montagem do elenco, pega um preço alto. me esforcei, contribuindo com o melhor. Participei a frente da equipe em seis embates, com resultado de quatro derrotas, e a maior dificuldades e que não conseguimos finalizar os treinamentos dentro de campo. Era o que tínhamos, então não foi suficiente”, completou.

*Com informações da Sagres

Comentários