Esportes

Corte de R$ 43 milhões em despesas é estimado pelo COB devido à pandemia

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) divulgou nesta terça-feira (19) uma nota apresentando um balanço das principais medidas de proteção e suporte ao esporte que foram tomadas pela entidade, após dois meses desde o início do isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus

diario da manha
Presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira. Foto: Wander Roberto/COB

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) divulgou nesta terça-feira (19) uma nota apresentando um balanço das principais medidas de proteção e suporte ao esporte que foram tomadas pela entidade, após dois meses desde o início do isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo o Comitê, houve uma redução de despesas de ordem administrativa e de projetos em 2020 que somam R$ 43 milhões. As informações foram publicadas pelo site Terra.

A matéria enfatiza que o COB argumenta acompanhar de perto as orientações dos órgãos governamentais e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, a entidade destaca que está atenta aos cenários nacional e internacional, bem como aos posicionamentos do Comitê Olímpico Internacional (COI) e do Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio-2020.

Conforme a reportagem, os colaboradores do COB estão trabalhando no sistema home office desde o dia 18 de março. Isso ocorre com o objetivo de planejar a missão Tóquio-2020, oferecer suporte à atletas e Confederações por meio de cursos, palestras e outras ações. Dessa forma, a entidade busca manter o sistema olímpico ativo e preparado para o retorno, como destaca o Terra.

O COB elencou as principais ações implementadas durante o período, até o momento. Veja a seguir:

  • Redução de despesas do COB de ordem administrativa e de projetos em 2020 de cerca de R$ 43 milhões;
  • Garantia do orçamento dos recursos descentralizados das Loterias no valor de R$ 120 milhões para as Confederações Olímpicas, conforme orçado e divulgado;
  • Revisão dos critérios de distribuição dos recursos da Lei 13.756/18 para 2021;
  • Estudo para uso de recursos da Lei 13.756/18 destinados à atividade fim em 2020 para 2021;
  • Solicitação da revisão dos limites da portaria 341/18 à Secretaria Especial do Esporte;
  • Repatriação de atletas em treinamento e competição no exterior nos meses de fevereiro e março;
  • Em conjunto com as áreas médicas das Confederações Olímpicas, elaboração de protocolo de volta à normalidade para os treinamentos esportivos (em andamento);
  • Cessão de material do Centro de Treinamento Time Brasil para uso de atletas das Confederações Olímpicas em suas casas no período de isolamento social;
  • Elaboração de tutorial em vídeo com orientação de exercícios para atletas se manterem ativos em casa;
  • Confecção de cartilha com cuidados de prevenção distribuída para toda a comunidade olímpica brasileira;
  • Reunião com Chefes de Equipe das modalidades dos Jogos de Tóquio-2020 para atualização e ajuste do planejamento;
  • Suporte de gestão às Confederações Olímpicas, com reuniões e seminários nas áreas: jurídico, comunicação e marketing, programa GET (Gestão, Ética e Transparência) e capacitação (cursos do Instituto Olímpico Brasileiro);
  • Ampliação do prazo de envio de evidências pelas Confederações para atualização de sua situação no programa GET;
  • Doação de cestas básicas a alunos das escolas municipais atendidas pelo projeto Transforma (em execução);
  • Criação de material lúdico disponibilizado gratuitamente pelo site e redes sociais do COB para crianças (cadernos de colorir e passatempo);
  • Campanhas digitais para conscientização dos protocolos de prevenção ao novo coronavírus (#UmÚnicoTime e #TimeBrasilemCasa) e apoio à linha de frente.

Comentários

Mais de Esportes