Esportes

Festival oferece vivência paralímpica para crianças

diario da manha
Foto: Reprodução

Cerca de 250 crianças participaram do 2° Festival Paralímpico na manhã deste sábado (21), no Centro de Excelência do Esporte. O evento realizado pela Seel (Secretaria de Estado de Esporte e Lazer), em parceria com o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), permitiu que crianças com deficiência tivessem acesso a experiências com a prática do paradesporto.

As atividades ministradas pelos professores tiveram como modalidades o atletismo, tênis de mesa e badminton. As três atividades foram realizadas de forma simultânea, com as turmas fazendo rodízio entre elas. Ao final do evento, as crianças fizeram um lanche, antes de voltarem para casa.

O intuito do projeto, além de promover inclusão social, é de proporcionar uma vivência paralímpica para crianças e estimular a prática do paradesporto.

“O paradesporto é para nós um projeto grande, que tratamos como prioridade. Estamos fomentando o esporte paralímpico também no interior, implantando núcleos em diversas cidades. Estamos plantando sementes e queremos que a sociedade valorize o paradesporto e o atleta paralímpico”, ressaltou o Secretário de Estado de Esporte e Lazer, Rafael Rahif.

Superintendente de Paradesporto e Fomento Esportivo, Jonas Fonseca comemorou o resultado do evento. “Tivemos uma procura muito grande dos pais e crianças. Percebemos que o paradesporto é uma necessidade social para a comunidade de pessoas com deficiência.Quando iniciamos o trabalho na Secretaria de Esporte a Superintendência de Paradesporto foi um pedido especial que fizemos para o governador, e fomos bem atendidos. Nossa meta até o ano que vem é alcançar 20 núcleos paralímpicos”, comentou o superintendente.

Gerente de Práticas Desportivas e Paralímpicas, João Turíbio destacou o papel dos professores de educação física na difusão do paradesporto para crianças e adolescentes.

“Os professores são os grandes responsáveis por levar o esporte paralímpico para as crianças com deficiência. Sem eles é impossível criar esse elo. Nosso papel é interiorizar esse serviço, com a criação dos núcleos e capacitar os profissionais”, avaliou.

Além de Goiânia, também participaram do evento delegações de Senador Canedo, Cidade Ocidental, Valparaíso, Itapaci, Catalão e Itumbiara, onde há núcleos paralímpicos implantados ou em fase de implantação.

A 2° edição do Festival Paralímpico também foi realizada em 75 cidades brasileiras, entre elas Anápolis e Aparecida de Goiânia, em comemoração ao dia mundial do atleta paralímpico, neste 22 de setembro.

Comentários