Entretenimento

O movimento da moda

''Um bom designer deve estar atento à essas mudanças e com muita criatividade e inovação deve criar e pensar numa moda mais limpa.'' - Lorena Borges

diario da manha
Foto: Reprodução.

Moda vem do latim ”modus”, que significa costume, maneira ou comportamento. A roupa é peça fundamental para os seres humanos há mais ou menos 600 mil anos a.c.

Ela nos protege das intempéries do clima, além de realçar nossa identidade, posição ou cargo e mesmo nossa personalidade.

A moda influencia milhões de pessoas, assim como acontecimentos e modificações nas dinâmicas sociais, a exemplo de guerras, trazem mudanças no vestuário.

Na Primeira Guerra Mundial, as mulheres tiveram que assumir postos de trabalhos masculinos, por isso a preferencia era por roupas práticas e confortáveis, além da falta de tecidos que exigiu um “encurtamento” das saias, na época.

Artesões ficavam famosos por vestirem a nobreza. Charles Frederick Worth, responsável por abrir o primeiro ateliê de alta-costura em Paris, em 1858, é considerado por muitos o “pai da alto costura”.

Com as reformas na sociedade e os avanços tecnológicos a forma de consumir e produzir roupas e assessórios muda drasticamente.

A fast fashion, nome dado a essa nova maneira de produzir moda, se sustenta em três pilares: baixo custo de produção, rápido escoamento da produção e preços atrativos, o que faz gerar escândalos por trabalho escravo, envolvendo marcas famosas pelo grande público.

Novos olhares e preocupações

Trabalho da estudante de Moda, Lorena Borges, ganhador do “Fashion for Future”

”Renascer”, verbo que traz beleza e esperança é o nome de um dos projetos vencedores do ”Fashion for Future”, da estudante de Design de Moda da Estácio de Petrópolis, Lorena Borges.

O trabalho é sobre a tradição artesanal de Florença, berço da arte e arquitetura Renascentista. “Cruzei referências do artesanato com o Renascimento Italiano e cheguei a duas artesãs que criam obras de arte e itens decorativos com restos de tecido. E criei meu moodboard que deveria ser base para uma coleção fictícia”, conta a estudante.

A coleção, segundo Lorena, assim como as obras das artesãs teria o intuito de fazer “Renascer” retalhos e sobras de tecidos em peças com silhuetas, estampas e cores que remetessem ao Renascimento italiano, contendo as informações necessárias para criar um aspecto harmônico.

“Acredito nas mudanças na maneira de consumir, nos olhares para uma moda mais sustentável, o “feito à mão” e em uma moda mais “slow”, mais consciente. Um bom designer deve estar atento a essas mudanças e com muita criatividade e inovação deve criar e pensar numa moda mais limpa”, explica, Lorena.

Nada acontece por acaso

Lorena fazendo o que mais ama.

Ambiciosa e guerreira, Lorena sabia desde cedo que não podia permanecer parada na busca de seus objetivos. Desse modo, há 10 anos a jovem saia de Cataguases, Minas Gerais, para Petrópolis, Rio de Janeiro, em busca de uma vida melhor.

Morar sozinha e trabalhar para ter o próprio dinheiro, foram encarados pela jovem com garra e determinação. Seu primeiro emprego foi em uma empresa de moda. “Comecei como auxiliar administrativo e depois de um tempo a dona da marca viu potencial em mim e me chamou para ser auxiliar de estilo. Foi quando comecei a me apaixonar pela moda”, conta.

Por questões financeiras, seu sonho teve de ser adiado por alguns anos. “Cursei uma faculdade pública de Gestão de Turismo e fui muito feliz na escolha, aprendi muito e amadureci muito também”, conta Lorena, que na época não podia pagar uma faculdade particular.

Tudo mudou no início do ano passado(2019), quando finalmente Lorena se inscreveu no curso de Design de Moda. Ela trabalha de dia, a noite estuda, além de cuidar dos afazeres domésticos. Contudo, a estudante encara sua rotina feliz, já que a sua mente está focada em um objetivo maior.

“Estudo bastante, tento sempre estar atualizada e antenada. Pesquiso, sou curiosa e tenho dentro de mim muita força e garra. Tenho muitos sonhos e muitas expectativas pro futuro. As coisas nunca vieram fáceis por isso eu me esforço muito e fico feliz com cada pequeno resultado”, afirma.

Mão na massa

Lorena ao lado de modelo usando saia de papel. Trabalho realizado pela estudante que está em exposição em museu de Petrópolis.

Lorena ressalta o incentivo e a ajuda da coordenadora do curso Márcia Borges. “Não me sentia preparada, pois sabia que concorreria com alunos bem mais experientes, mas ela sempre disse que seria possível e me ajudou em todo o processo”.

A aluna venceu o concurso do Fashion for Future, que selecionou seis universitários entre 300 inscritos de todo Brasil, e ganhou uma bolsa do curso para novos designers, em Milão, cidade da Moda na Itália. E fala de sua preparação para essa nova e importante etapa da sua vida.

“É preciso planejar muitos detalhes, questões burocráticas, aprender muitas coisas. Eu nunca fiz uma viagem internacional, então é uma mistura de muita ansiedade, nervosismo e felicidade. Estou pesquisando muito, fazendo cronogramas, listando lugares para visitar, tentando aprender um pouco de italiano, rsrs.”

Passar um mês na Europa não é barato, por isso Lorena criou uma vaquinha online para que pessoas possam contribuir na realização desse sonho. Quem quiser ajudá-la nessa nova empreitada também pode fazer doações entrando em contato com a estudante através de seu Instagram pessoal.

tags:

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio