Entretenimento

Evocando emoções através da dança

diario da manha
“Duo” espanhol apresenta espetáculo de dança nesta sexta-feira no Centro Cultural UFG(FOTO: ELIAS AGUIRRE)

O corpo é uma evidência do espírito. Analisar o ajuntado de pele e órgãos é também perceber os sentimentos que passam pela vida da pessoa.Um corpo imóvel, muitas vezes,pode representar uma angústia ou até mesmo significar uma revolta.Portanto, a dança tem um significado importante dentro de um contexto onde o espírito parece padecer aos poucos. Através desta expressão artística é possível desenvolver o contato, consigo e com o outro. Além disso, existe a beleza da representação e a interação entre pessoas que a dança promove. Provando que a dança acontece além do corpo, a Manga de Vento – Mostra Expandida de Dança realiza apresentações e oficinas neste mês de julho coma participação de quatro artistas espanhóis.

As apresentações têm início apartir desta sexta-feira (6/7), noCentro Cultural UFG. A dupla espanhola Álvaro Esteban e Laura Aris apresenta o duo Cualquier Mañanae os solos Open Wound e Antípodas.No sábado (7) é a vez de Daniel de Abreu apresentar o espetáculo Perro. A programação da noite de sexta tem início com a cena OpenWound, de Laura Aris, que é parte da série de solos MicroActions,criada entre os anos de 2013 e 2014,quando a artista era residente daHKAPA (Hong Kong Academy forPerforming Arts). A apresentação de Laura cria imagens em movimento,evocando emoções através da dança.Open Wound demonstra o interesse da artista em desenvolver um diálogo entre dança e outras disciplinas artísticas, bem como sua interação com a plateia.A segunda apresentação da noite é do espanhol Álvaro Esteban.O solo Antipodes traz aos olhos do público uma criatura que passa sua vida de costas para o mundo,quase imóvel, encarcerada por seus próprios medos. O espetáculo é o tempo/espaço em que o corpos e dedica ao aprendizado do voo,da caminhada, da interação como seu entorno, mas sempre mantendo seu rosto velado. O encerramento da programação será realizado pelo duo entre os dois artistas espanhóis. Cualquier Mañana trata de maneira intimista a tristeza natural provocada pelos laços quebrados.É também uma representação do desconsolo diante do desaparecimento de aspectos referenciais de uma relação. Gestos, poucas palavras e casualidades evidenciando a realidade presente.

No dia anterior à performance,quarta-feira (5/7), Laura Aris e Álvaro Esteban ministraram o workshop gratuito “Energía y Trabajo em Pareja”,dedicado a bailarinos, coreógrafos,estudantes e pesquisadores do movimento. O programa de formação da Manga de Vento também prevê o workshop “DesdeAquí”, em 7 de julho, com o bailarino e coreógrafo Daniel Abreu,no Centro Cultural UFG.

Cena de Open Wound, de Laura Aris(FOTO: TAKAO KOMARU)

JULHO DANÇA

As apresentações de dança continuam no domingo (7) com a peçaPerro, de Daniel de Abreu. O trabalho fala sobre a dualidade, triunfos e lutas internas e externas próprias do cotidiano inexplicável. O guerreiro e o manso, um personagem contra os observadores, a parede e seus próprios medos. Ao final, uma luta contra o ar. O corpo em constante contradição é o único instrumento visível ou, pelo menos, previsível.Com este solo, o intérprete-criador espanhol foi vencedor do Prêmio Nacional de Dança de 2014, concedido pela La Fundición de Bilbao.

Para julho também está previstauma homenagem à renomada bailarina e coreógrafa madrilena Carmen Werner que, no dia 28, performa De Parte de Ella, em Goiânia.

A Mostra Expandida de Dança foi iniciada em maio deste ano e segue até outubro. Carmen Werner está entre as artistas mais renomadas da Dança na Espanha e na Europa.Presente nas edições anteriores da Manga de Vento, este ano ela será homenageada pelo conjunto de sua obra. Especialmente para a ocasião, ela traz a Goiânia o solo DeParte de Ella, em 28 de julho. Neste trabalho reflexivo sobre o sentido da vida, entre outras questões, a bailarina e coreógrafa comenta os esforços feitos para “alcançar uma atmosfera de compreensão”.Nascida em Madri, ela dirige a Fundación para la Danza Contemporánea Carmen Werner e fundou a Provisional Danza, em 1987. De lápra cá, sua companhia já encenou mais de 60 coreografias, trabalhos montados para teatro de pequenos e grande portes, para a rua, além de video dança, cinema de curta-metragem.Sua trajetória artística tem sido reconhecida por meio de diversas premiações, com destaque para o Premio Nacional de Danza(2007), Premio Internacional de Danza Onassis (2001) e Premio de Cultura en la sección de Danza dela Comunidad de Madrid (2000).

Peça Perro, de Daniel Abreu(FOTO: YASSIEK)

SOBRE OS INTÉRPRETES CRIADORES

LAURA ARIS é performer, coreógrafa e professora com reconhecimento internacional. Integrou a renomada Belgium Dance Company, dirigida por Wim Vandekeybus,na turnê do espetáculo Ultima Vez. Nos últimos cinco anos vem trilhando carreira solo e desenvolvendo suas próprias práticas criativas. Ente 1996 e 1999 fez parte da Lanònima Imperial Dance Company, dirigida por Juan Carlos García, e associada ao coletivo artístico General Electrica em várias produções de Tomás Aragay.Laura Aris recebeu o Lladró Awardcomo bailarina destaque do Festival de Valencia (1999).

ÁLVARO ESTEBAN é bailarino e coreógrafo, estudioso de técnicas de autoconsciência e meditação,com ênfase nos planos físico,emocional e energético. Atualmente integra companhia comoa espanhola Cia. Daniel Abreu e a dinamarqueza Cocoon Dance(DE) e realiza projetos diversos em colaboração com outros artistas.Entre eles, destaque para Cuadra-T, concebido em parceria com Natxo Montero, trabalho finalistano Choreographic Competitionof Madrid 2008. Bem como Entomo, criação conjunta com Elias Aguirre, performance suprapremiada e ainda em turnê, com mais de 130 performances realizadas em todo o mundo.

DANIEL ABREU iniciou carreira profissional aos 18 anos e se formou como bailarino clássico e contemporâneo. Atua em circuitos alternativos e se dedica à investigação do movimento. Já integrou diversos grupos de dança, entre eles a companhia criada por Carmen Werner, Provisional Danza. Administra a Cia. Daniel Abreu e seu último trabalho se chama Equilíbrio.Atualmente, também ministra aulas no Conservatório Superior de Danza María de Ávila, em Madrid.

CURADORIADA MOSTRA

O bailarino e coreógrafo Kleber Damaso, que assina curadoria e direção artística da mostra, lembra que a “manga de vento” é um dispositivo de análise do sentido do movimento. Conhecido também como “biruta”, este instrumento encontrado em campos de pouso e decolagem informa sobre a orientação do vento.“Essa vulnerabilidade do dispositivo é avessa à ideia de apontar tendências, de circunscrever escolhas temáticas, de defender circuitos consolidados, entre outras expectativas tantas vezes sustentadas pelo discurso curatorial. Aspiramos um programa que contemplado pensamento coreográfico que extrapola os entendimentos de corpo, às pesquisas que avançam naquilo que a dança traz de mais elementar – estarem movimento –, mesmo quando este movimento não é exclusivamente da ordem do visível”, reflete o curador. Wohlgemuth ainda complementa alargando o debate: “A necessidade de revisitar as trajetórias dos artistas convidados pela Mostra como estratégia de revidar os usos inapropriados e políticos de obras de arte nos leva a indagar sobre as responsabilidades e desdobramentos da atividade curatorial, que especialmente nessa edição, procura incitar um olhar menos linear para desvendaras discussões que, a princípio,estão fora de campo, e que são de fato relevantes nas obras selecionadas,mas que por interesses escusos não estão em evidência nos grandes meios de circulação de informações sobre a arte”.

 

SERVIÇO

5/7 – 15H

Workshop: “Energía y Trabajo em Pareja”

Com Álvaro Esteban e Laura Aris (Espanha)

6/7 – 20H

Open Wound + Antípodas + Cualquier Mañana | Álvaro Es­teban e Laura Aris (Espanha)

(Classificação indicativa: 16 anos)

7/7 – 10H

Workshop: “Desde Aquí”

Com Daniel Abreu (Espanha)

7/7–20H

Perro | Daniel Abreu (Espanha)

(Classificação indicativa: 18 anos)

28/7 – 20H

De Parte de Ella | Carmen Wer­ner (Espanha)

(Classificação indicativa: 16 anos)

Local: Centro Cultural UFG (Avenida Universitária, 1533, Setor Leste Universitário)

Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

 

Cena de Antípodas, de Álvaro Esteban

Comentários