Entretenimento

Fronteira Festival abre inscrições para sua quarta residência crítica de cinema

diario da manha

O IV Fronteira – Festival Interna­cional do Filme Documentário e Ex­perimental (FFF), que acontece em Goiânia entre os dias 12 e 21 de abril, oferece espaço privilegiado de refle­xão e crítica sobre as obras que se­rão exibidas nas diversas mostras que compõem o evento.

Para dezenas de novos críticos, esta é uma oportunidade de cons­truir diálogos a partir de obras con­sagradas ou inéditas, de autores re­conhecidos ou novatos, tendo como suporte a perícia e experiência de especialistas convidados, que con­duzem esse trabalho de apreciação e análise, e de produção de novos conteúdos textuais.

INSCRIÇÕES

As inscrições ficarão abertas en­tre 28 de fevereiro e 07 de março, pelo site do Fronteira www.frontei­rafestival.com. No próprio formulá­rio de inscrição o candidato deverá postar uma carta de apresentação, resumindo sua experiência crítica. Também será necessário indicar, no mínimo, 3 textos críticos publicados em qualquer veículo, meio ou con­texto. Textos inéditos também se­rão aceitos, caso não haja publica­ções comprovadas.

A RESIDÊNCIA

Os encontros entre residentes e orientadores acontecem diaria­mente, entre 17 e 20 de abril, das 9h às 13 horas. Durante o trabalho os/ as selecionados/as terão a oportu­nidade de investigar mais profun­damente os filmes das mostras e re­fletir acerca de problemas ligados à crítica de cinema, à arte e à cultura visual. Os participantes precisam estar presentes em todos os encon­tros e precisam ter disponibilidade para acompanhar as exibições do Fronteira Festival. Cada crítico de­verá produzir textos que serão pu­blicados em um e-book no Site do Festival após o término da edição do Fronteira.

OS ORIENTADORES

Ela Bittencourt é crítica e pro­gramadora de cinema. Seus artigos são publicados em diversas revis­tas internacionais, entre elas Art­forum, Art in America, Film Com­ment, Frieze, Hyperallergic, Sight & Sound e Village Voice. Foi cura­dora de várias mostras nos Estados Unidos (True/False Film Festival; Museum of Moving Image/ MoMI, Nova York) e no Brasil, entre elas as retrospectivas de Krzysztof Kielows­ki e de Andrzej Wajda na Mostra In­ternacional de Cinema de São Pau­lo, e de Andrzej uławski no CineSesc e no IMS-Rio. Trabalha com os festi­vais de cinema, Sheffield Doc/Fest e É Tudo Verdade.

Victor Guimarães é crítico na re­vista Cinética desde 2012, colaborou com revistas como Senses of Cine­ma (Austrália), Desistfilm (Peru) e La Furia Umana (Itália). Foi profes­sor no Centro Universitário UNA, na Universidade Positivo e na Vila das Artes. Foi um dos coordenadores do FestCurtasBH (2014), integrante das comissões de seleção do forum­doc.bh (2012 a 2015) e programador de mostras como Sabotadores da Indústria (BH), Argentina Rebelde (RJ) e L.A. Rebellion (Recife). É autor de O hip hop e a intermitência po­lítica do documentário (PPGCOM/ UFMG, 2015) e organizador deDo­méstica (Desvia, 2015). Doutoran­do em Comunicação Social pela UFMG, com passagem pela Uni­versité Sorbonne-Nouvelle (Paris 3).

Victor Guimarães (MG) e Ela Bittencourt (SP), são os coordenadores do projeto(fotos:divulgação)

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio