Eleições 2020

Mendanha pode ser proporcionalmente o prefeito mais bem votado do Brasil

Até as 21h43 deste domingo, emedebista já tinha 95% dos votos válidos; números tendem a confirmá-lo como prefeito eleito com o maior porcentual de votos entre as cidades brasileiras com mais de 200 mil eleitores. Disputa envolveu 308 mil votos

diario da manha

Com 73,69% das urnas apuradas em Aparecida de Goiânia, o prefeito Gustavo Mendanha (MDB), foi reeleito para governar a cidade por mais quatro anos. Até o momento, a apuração indica uma vitória expressiva e histórica, com 95,9% dos votos válidos, tornando o emedebista o primeiro prefeito eleito em Goiás nas cidades que podem ter segundo turno e o gestor mais bem votado do Brasil, proporcionalmente, ao que indica, até este momento, a comparação da com os outros 94 municípios de perfil semelhante, ou seja, onde há mais de 200 mil eleitores.

“As pesquisas indicavam desde o início a nossa vitória e que a votação seria histórica. Os números das urnas são resultado do trabalho que todos nós da administração realizamos nesses quatro anos, dando sequência à ótima gestão do prefeito Maguito Vilela”, disse o emedebista durante entrevista coletiva realizada após a apuração dos votos. Com o resultado parcial, de 146.637 votos para sua reeleição, Gustavo já supera a própria marca nas urnas, vez que em 2016 foi eleito com 122.122 votos, também no primeiro turno.

Gustavo Mendanha acompanhou a apuração dos votos da Sala de reuniões do seu gabinete na Cidade Administrativa ao lado da primeira-dama, Mayara Mendanha, e do vice-prefeito eleito, Vilmar Mariano (MDB). “Aparecida vive um novo momento. Ainda ontem, comemoramos 57 anos de emancipação política. Essa votação expressiva aumenta mais a minha responsabilidade em fazer nos próximos quatro anos a melhor gestão que a cidade já teve”, salientou.

“O processo eleitoral se encerra hoje. A partir de agora, estarei governando não só para o número massivo de pessoas que votaram em mim, mas também para os aparecidenses que votaram nos demais candidatos e para os que votaram em branco. Vou continuar fazendo uma política moderna, propositiva, pensando no bem-estar social da cidade, sempre defendendo o cidadão, acima de tudo”, continuou o prefeito reeleito.

Gustavo disse que a desconfiança do eleitorado no início de seu mandato se converteu hoje em credibilidade. Para ele, essa conclusão é provada na ampla vantagem obtida sobre os outros dois adversários no pleito. “A população participou da nossa gestão de perto, conferindo as obras nos bairros e conversando com o prefeito pessoalmente, nas vistorias que eu sempre faço pela cidade e nos atendimentos do programa Prefeitura em Ação, que criamos para levar centenas de serviços gratuitos à comunidade e melhorias na infraestrutura dos setores”, comentou o emedebista.

Questionado sobre os desafios do segundo mandato, Gustavo Mendanha afirmou que cada gestão é diferente uma da outra e que serão novos quatro anos, com novo cenário na cidade. Por isso, focará nos desafios a serem enfrentados para que Aparecida continue avançando. “Podemos pensar em realizar uma nova reforma administrativa, preparando um novo modelo de gestão e fazer muito mais do que fizemos neste primeiro mandato. Com a pandemia ainda acontecendo, vamos principalmente focar em saúde, com o programa médico pós-covid e também focaremos na finalização da implantação do projeto Cidade Inteligente, transformando Aparecida em uma cidade mais tecnológica e moderna.”

Gustavo acrescentou: “Não deixarei de lado, claro, as obras de infraestrutura, educação, esporte, urbanismo, de mobilidade e social. Além disso, continuarei andando pelos bairros, conversando com a população para ouvir seus clamores e assim resolver as demandas apresentadas pelo povo, atuando pela melhoria da qualidade de vida de todos que aqui vivem”.

A maior coligação do Brasil

Sucessor do ex-prefeito Maguito Vilela (MDB), que já foi governador de Goiás, Gustavo Mendanha ganhou projeção nacional ao formar nestas eleições a maior coligação do Brasil para disputa dos votos majoritários. São 20 partidos na sua base de apoio, segundo o repositório de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A aliança formada por Gustavo reúne 60% dos 33 partidos reconhecidos hoje pelo TSE. Estão apoiando o projeto de reeleição do prefeito, além do MDB, o PL, PSD, PMN, Podemos, PSL, PSB, Patriota, PP, PTC, Republicanos, PMB, PSDB, PV, Cidadania, PT, Solidariedade, PCdoB, PDT e PROS.

O prefeito reeleito atribui a boa desenvoltura na formação da coligação a seu perfil pessoal e político, que ele considera como aglutinador, diplomático e democrático. Para Gustavo, a ampla aliança em torno do projeto de sua reeleição é resultado também do governo que ele fez nos últimos quatro anos, contando com participação da maioria das siglas dessa frente partidária. “Desde quando fui vereador e presidente da Câmara Municipal, sempre fui reconhecido por essa capacidade de diálogo, de construção de pontes entre as pessoas e os partidos, e, claro, de ouvir e conciliar diferentes pontos de vista”, narrou Gustavo.

Na avaliação do prefeito, o cenário político de Aparecida reflete o reconhecimento que sua gestão conquistou da população, segundo ele, mesmo antes deste ano eleitoral. Gustavo observa que, como prefeito, teve de superar no início do mandato a desconfiança dos eleitores e de alas do próprio MDB, que questionavam se ele teria experiência para suceder Maguito Vilela, vez que tinha apenas 34 anos quando tomou posse na Prefeitura. Maguito, que agora vai para o 2º turno nas eleições em Goiânia, é um dos políticos mais respeitados em Aparecida por ter implementado vários pólos industriais, asfaltado dezenas de bairros e ainda ter construído o Hospital Municipal, o Hmap, e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Definição no primeiro turno

Com mais de 308 mil eleitores, Aparecida de Goiânia viveu uma situação incomum em muitas cidades brasileiras, que é a de ter três candidatos a prefeito, mas com uma definição do pleito já no primeiro turno. É um cenário inverso ao esperado para o primeiro turno da eleição de 2016. Naquelas eleições, o número de candidatos era o mesmo, três postulantes, mas o porcentual de votos nos candidatos foi relativamente mais equilibrado. Gustavo venceu no primeiro turno com 59,99% (122.122 votos). O segundo candidato mais votado teve 21,11% dos votos válidos e o terceiro colocado na disputa, 18,91% dos votos computados. Foram 203.582 votos válidos.

Hoje, Gustavo Mendanha vê sua larga vantagem no resultado das eleições como resultado das inovações que a atual gestão trouxe para Aparecida, através do programa Cidade Inteligente. A iniciativa usa a tecnologia para diminuir os custos operacionais da administração pública e universalizar o acesso da população aos serviços prestados pela Prefeitura de Aparecida, que passa a ser feito também pela internet. Um dos braços do programa, o Olhos de Águia, reforça a segurança pública com mais de duas mil câmeras que fazem o videomonitoramento da cidade (650 delas têm até reconhecimento facial). As imagens são enviadas em tempo real a uma central de inteligência, através de mais de 700 quilômetros de fibra óptica, já instalados.

“Além de reconhecer os frutos do programa Cidade Inteligente, que já recebeu prêmios no Brasil e no exterior, a população entendeu também que fomos bem-sucedidos no enfrentamento à Covid. Criamos 130 leitos exclusivos para Covid no Hmap, já testamos 24% dos moradores e monitoramos todas as pessoas que contraíram a doença. Também mantivemos pulso firme durante o processo de retomada das atividades com responsabilidade. Conversamos com a população diretamente, implantamos o escalonamento regional e demais ações que foram imprescindíveis para não colapsarmos nosso sistema de Saúde, salvando vidas e a economia. Agora, já temos o plano articulado para conduzir nossa cidade na retomada pós-pandemia. E a população mostrou que está conosco nesse momento desafiador não só para Aparecida, mas para todo o mundo”, finalizou Gustavo Mendanha.

Comentários