Eleições 2020

Apoiados de Bolsonaro não se elegem, na maioria

De 45 candidatos, somente 10 conseguem a eleição nas câmaras de vereadores, enquanto nas prefeituras 9 de 13 saíram derrotados.

diario da manha
REUTERS/Adriano Machado

O presidente manifestou apoio à 45 vereadores em 27 cidades, mas somente 10 se elegeram, ficando como suplentes um total de 35. Bolsonaro (sem partido) manifestou seu apoio a eles por meio de lives na reta final das eleições deste ano.

Já o número de candidatos à prefeito apoiados chega a menos que 20 e apenas quatro tiveram e eleição concretizada. O apoio em foro eleitoral chegou até à Coronel Fernanda (Patriotas), pelo cargo de senadora pela estado do MT, após a cassação do mandato de Selma Arruda, em 2019. Entretanto ela não se elegeu.

Dentre a lista de não eleitos está Wal do Açaí (Republicanos), que teria sido apontada como funcionaria fantasma ligada ao gabinete de Bolsonaro em 2018, quando ele ainda era deputado pelo estado do RJ. Wal se candidatou pelo cargo de vereadora de Angra dos Reis, utilizando o nome “Wal Bolsonaro” e recebeu apenas 266 votos.

Um dos filhos do presidente, Carlos Bolsonaro (Republicanos), conquistou mais uma vez o eleitorado, dessa vez dentro da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, sendo eleito com o total de 71 mil votos, não sendo suficiente para ser uma eleição recorde, como ele esperava.

O candidato à vereador no país que mais recebeu votos foi Eduardo Suplicy (PT), reeleito com cerca de 167 mil votos.

Confira quais os candidatos a vereador apoiados por Bolsonaro que foram eleitos:

  1. Carlos Bolsonaro (Republicanos) – Rio de Janeiro (RJ)
  2. Paulo Chuchu (PRTB) – São Bernardo do Campo (SP)
  3. Sonaira Fernandes (Republicanos) – São Paulo (SP)
  4. Nikolas Ferreira (PRTB) – Belo Horizonte (MG)
  5. Pastor Junior (Podemos) – Recife (PE)
  6. Marco Aurélio (PRTB) – Recife (PE)
  7. Inspetor Alberto (PROS) – Fortaleza (CE)
  8. Thiago Paz (Democratas) – Garanhuns (PE)
  9. Alexandre Aleluia (Democratas) – Salvador (BA)
  10. Jessicão (Progressista) – Londrina (PR)

*Com informações do G1.

Comentários