Eleições 2020

TSE faz parcerias para combater a desinformação nas eleições

Em parceria com Facebook, Instagram e WhatsApp, tribunal contará com ferramentas e canais de comunicação para combater a desinformação durante a campanha eleitoral 2020. Página de buscas do Google irá destacar conteúdos oficiais

diario da manha
Foto: Reprodução

Na última quarta-feira (30), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), anunciou uma parceria com as redes sociais Facebook, Instagram e WhatsApp que visa combater a desinformação durante as eleições municipais deste ano. Já nesta quinta-feira (1º), o TSE formalizou um acordo com o Google com mesmo objetivo.

Em 2020 a campanha eleitoral começou oficialmente no último domingo (28), as votações do primeiro turno devem acontecer no dia 15 de novembro, e o segundo, em 29 de novembro. As parcerias lançadas esta semana pelo Tribunal contra a desinformação durante a campanha eleitoral podem ser benéficas para democracia de acordo com presidente do órgão.

Para o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, a inciativa pode “eliminar os participantes de má-fé que, dolosamente, procuram fazer mal às pessoas e à democracia”. Além disso, o ministro ainda afirmou que devemos transformar a revolução tecnológica em favor do bem.

“Temos mecanismos para neutralizar o mal. Estamos procurando eliminar essa circulação do mal, das notícias falsas, das manifestações de ódio, das campanhas de desinformação, sem controle de conteúdo”, declarou.

Redes sociais

Entre as ferramentas disponibilizadas pelas redes sociais, está um canal de comunicação para denunciar contas suspeitas de fazer disparos de mensagens em massa pelo WhatsApp que irá atuar junto ao TSE. A prática não é permitida tanto nos Termos de Serviço do aplicativo, quanto pela legislação eleitoral.

“Sabemos que há empresas que fornecem aos candidatos serviços ilegais de disparo em massa de mensagens. Por isso, o WhatsApp solicita que os candidatos rejeitem essas propostas e façam as devidas comunicações às autoridades constituídas”, pontuou o diretor de políticas públicas para WhatsApp no Facebook, Dario Durigan.

Dario também ressalta que o aplicativo terá uma plataforma de denúncia de contas suspeitas de automação e disparo de mensagens em massa. “O TSE receberá denúncias das demais instancias da Justiça Eleitoral e dos eleitores e encaminhará ao WhatsApp para que esse verifique e revise o comportamento de contas suspeitas de acordo com seus termos de serviço”.

As contas que fizerem disparo automatizado e massivo de mensagens serão banidas do aplicativo segundo o diretor. Um “chatbot” será criado para ajudar na circulação de dados oficiais do TSE sobre o processo eleitoral e a votação. Para receber essas informações o eleitor deve adicionar o número +55 61 9637-1078 na lista de contatos.

Já o Facebook, disponibilizará o “Megafone” que vai divulgar mensagens de notícias sobre a organização, medidas de segurança e normas sanitárias para o dia da votação.

Por sua vez, no Instagram, de acordo com portal G1, estarão disponíveis aos usuários figurinhas com a temática das eleições municipais e a divulgação da campanha sobre mais mulheres na política.

Google

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), também formalizou hoje uma parceria com o Google. De acordo com o órgão, o site vai destacar em sua página de buscas o conteúdo oficial produzido pelo tribunal além de manter seus canais de comunicação abertos aos usuários com um suporte de reclamações para anúncios e denúncias de conteúdo falso.

Para o diretor de Relações Governamentais e Políticas Públicas do Google Brasil, Marcelo Lacerda, o objetivo é fornecer informações relevantes e confiáveis ao eleitor. Caso o eleitor pesquise “como votar”, ele terá acesso direto a informações oficiais antes de qualquer outro resultado.

Comentários