Economia

Black Friday: Bolsonaro quer estimular comércio a dar descontos, no que seria chamada de “Semana do Brasil”

No ano passado, as vendas no comércio online rendeu R$ 2,6 bilhões, alta de 23% em relação a 2017.

diario da manha

Com o avanço da Reforma da Previdência, na Câmara dos Deputados, o Palácio do Planalto começa a planejar uma série de ações na área de comunicação, a fim de estimular o patriotismo e ainda melhorar a imagem do governo Jair Bolsonaro no exterior.

Entre os projetos tratados em reunião ministerial na última terça-feira (16/07) está uma versão patriótica da Black Friday, prevista para a semana do Sete de Setembro. Segundo a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), o feriado da independência vai virar uma “semana” de comemorações, a “Semana do Brasil”.

Dentro da versão brasileira da Black Friday, haverá um incentivo ao comércio varejista a oferecer descontos, inspirado no modelo estadunidense, que faz promoções em feriados nacionais. Os integrantes do governo já conversam com as entidades que representam os lojistas. para concretizar o plano de descontos “patrióticos”. Além disso, o setor hoteleiro foi instruído para promover o turismo interno na data.

O governo federal também começou a organizar a parada do Sete de Setembro, em Brasília. Neste ano, o governo planeja gastar até R$ 1,2 milhão com o desfile na Esplanada dos Ministérios. O valor corresponde ao dobro do que foi empenhado ano passado, com custo foi de R$ 817 mil.

Black Friday

Pessoas comprando na Black Friday
Promoções da Black Friday – Agência Brasil

Criada no início dos anos 90 na Filadélfia, a sexta-feira de descontos é quando começa a temporada de compras para o Natal com significativas promoções em muitas lojas. É um dia depois do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, ou seja, celebra-se no dia seguinte à quarta quinta-feira do mês de novembro.

No Brasil, a primeira sexta-feira dos descontos ocorreu em 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online. Apenas em 2012 que a sexta-feira negra começou a acontecer em lojas físicas. O evento não tem regulamentação, nem organização centralizada. Qualquer empresa, tanto virtual quanto física, pode fazer promoções com o nome Black Friday.

No ano passado, a sexta-feira de descontos ocorreu em 23 de novembro, as vendas no comércio online rendeu R$ 2,6 bilhões, alta de 23% em relação a 2017. Neste ano, a sexta-feira negra deve ocorre no dia 29 de novembro.

*Com informações do Estadão

Comentários