DM Autos

Setor automotivo terá produção maior em 2020, conforme novas projeções da Anfavea

Novos números da entidade apontam queda de 35% contra os 40% previstos no auge da pandemia.

diario da manha
Luiz Carlos: Presidente da Anfavea

O setor automotivo vai produzir mais do que o esperado para este ano, contrariando os primeiros números apresentados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). A própria entidade refez as projeções e a indicação é de um cenário menos pior do que o apresentado na metade do ano, com a pandemia ainda no auge.

Naquele momento a imprevisibilidade apontava para queda de 40% ou mais na produção do setor.

Nos novos números do setor automotivo divulgados pela Anfavea, o mês de setembro fechou como o  melhor trimestre do ano. Até então ocorreram sucessivos recordes negativos ao longo do segundo trimestre. As quedas foram resultados da crise causada  pela pandemia do novo coronavírus.

Apesar da recuperação dos últimos meses, as novas projeções ainda apontam fortes quedas em todos os indicadores. A produção estimada para o fim do ano é de 1,915 milhão de unidades, queda de 35% sobre 2019 e pior ano desde 2003.

Mercado interno

A expectativa da Anfavea para o mercado interno de autoveículos novos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) é de 1,925 milhão de unidades licenciadas no ano, queda de 31% e pior resultado desde 2005.

Nas exportações, estima-se o envio total de 284 mil unidades, 34% a menos que no ano anterior, pior volume desde 1999. Para o setor de máquinas agrícolas e rodoviárias, as projeções são um pouco melhores, com crescimento de 5% nas vendas, mas quedas de 4% na produção e de 31% nas exportações.

Auxílio emergencial

“Não deixa de ser um alívio diante do quadro que vislumbrávamos no começo da pandemia. Creditamos isso sobretudo à gigantesca injeção de dinheiro feita pelo governo federal por meio do auxílio emergencial, que fez a economia girar de forma mais rápida do que o esperado”, explica o Presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Prosseguindo, Luiz Carlos lembrou que “mesmo assim, teremos uma queda dramática de todos os resultados da indústria em 2020, ainda que o último trimestre seja razoável como foi o terceiro”.

Setor automotivo: Setembro ficou 11% abaixo do mesmo mês em 2019

Os resultados de setembro consolidaram a recuperação do terceiro trimestre, trazendo certo alívio a toda a cadeia automotiva. A produção de 220.162 autoveículos foi 4,4% superior à de agosto, mas 11% menor que a de setembro de 2019.

No acumulado dos nove meses, o recuo é de 41,1%. O mercado interno fechou o mês com 207.710 unidades licenciadas, alta de 13,3% sobre o mês anterior, com retração de 11,6% sobre o mesmo mês do ano passado (queda acumulada de 32,3% no ano).

Exportações

O que ajuda a derrubar os números de produção é o fraco desempenho das exportações, que mesmo no último trimestre não conseguiram repetir os níveis dos primeiros três meses do ano, projetando para 2020 o pior resultado deste século.

Em setembro foram embarcados 30.519 autoveículos, alta de 8,5% sobre agosto e queda de 16,7% sobre setembro de 2019 (encolhimento de 38,6% no ano).

Para o último trimestre do ano, a Anfavea espera números similares aos de setembro. “Se por um lado há sinais positivos, como a redução dos casos de covid-19, o alto interesse pelo transporte individual e o tradicional aquecimento do mercado no fim do ano, por outro há riscos. Dentre eles a a redução do auxílio emergencial, a queda no nível de renda, a alta do desemprego e o aumento da inflação”, exemplifica Luiz Carlos Moraes.

Comentários