DM Autos

Jeep Wrangler cresce 58% nas vendas em 2020

Números de vendas de janeiro a julho são em relação ao mesmo período de 2019.

diario da manha

O Jeep Wrangler, modelo ícone da marca e referência mundial no segmento off-road, aumentou em 58% suas vendas entre janeiro e julho. Os números têm relação com o mesmo período de 2019. Foram 163 unidades vendidas no período contra 103 no ano passado.

“São números de proporções bem diferentes de outros modelos da Jeep, como Compass ou Renegade. Contudo, é muito válido destacar esse relevante crescimento”, disse Alexandre Aquino, gerente sênior do Brand Jeep para a América Latina.

O Wrangler Rubicon, versão mais recente lançada no Brasil e representação máxima do legado e DNA da marca Jeep, conta com equipamentos exclusivos.

Exclusividade

Dentre os equipamentos exclusivos do modelo estão o sistema Rock-Trac 4×4 com eixos Dana 44 de última geração e alto desempenho com relação reduzida de 4:1, diferenciais de bloqueio eletrônico Tru-Lok, barra estabilizadora dianteira com desconexão eletrônica, suspensão 5 cm mais alta, pneus lameiros de 33 polegadas e mais proteção sob a carroceria.

Além dos sistemas de tração, segurança e toda a eletrônica embarcada, o Jeep Wrangler foi desenhado para sobrepor os mais difíceis obstáculos, com os melhores ângulos de ataque e de saída da categoria: 44 graus e 37 graus, respectivamente. Conta ainda com uma capacidade de imersão, podendo superar tranquilamente áreas inundadas com até 76cm de altura.

O Wrangler nasce com o selo Trail Rated que comprova seu potencial off-road, ao atender as exigências da Jeep em cinco quesitos: tração, distância do solo, articulação, manobrabilidade e capacidade de submersão.

Versões

Produzido na fábrica original da Jeep, em Toledo (Ohio/EUA), o Jeep Wrangler está disponível nas versões Sahara 4×4 2.0 AT8 Turbo (2 portas), Sahara Unlimited Overland 4×4 2.0 AT8 Turbo (4 portas) e Rubicon 4×4 2.0 AT8 Turbo (4 portas). A atual geração do modelo, que chegou em 2019, passou por uma reformulação total.

 Além da nova plataforma até 100 kg mais leve, o conjunto mecânico evoluiu enormemente, com o motor 2.0 turbo de 272 cv e 40,8 kgfm e o câmbio automático de oito marchas. Sem falar do conteúdo tecnológico inédito no Wrangler, como os conjuntos óticos de LED e a central Uconnect com monitor de 8,4”, entre outros equipamentos.

“O Jeep Wrangler faz parte de um nicho específico de veículos, com clientes aventureiros, apaixonados e fiéis. Nosso objetivo com ele não é mesmo ter grandes volumes. Ele é o ícone máximo do DNA Jeep, representando o espírito e a autenticidade que os clientes almejam”, afirma Alexandre Aquino.

Jeep Wrangler cresce vendas, apesar da pandemia

Prosseguindo, o executivo da marca Jeep disse que, com a pandemia, a indústria automotiva viu uma grande mudança em seus números. No entanto, segundo ainda Aquino, o Jeep Wrangler conseguiu remar contra a maré.

“O Wrangler não só escapou da queda na comercialização, como conseguiu um aumento. O estoque do primeiro lote do novo Rubicon, que foi lançado no Brasil no final de abril, terminou em três meses mesmo sendo o topo de gama”, observou Alexandre Aquino.

 Além disso, de acordo com Alexandre Aquino, a versão Sahara tem acelerado bastante nas vendas. Sem dúvida, é um modelo diferenciado: o cliente faz questão de ter o Wrangler porque sabe o que quer: toda liberdade, tradição e capacidade off-road da Jeep que ele traduz.

Comentários