DM Autos

Fiat Chrysler Automóveis conquista a liderança em vendas na América Latina

No Brasil, a marca mostrou também sua força e ficou em primeiro lugar.

diario da manha
Antônio Filosa: Presidente da FCA para a América Latina (Foto: Forbs)

A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) alcançou a liderança no mercado latino-americano de veículos, excluindo o México, com 15,9% de market share, no período entre abril e junho. No Brasil, a marca foi líder e, na Argentina, ficou com a vice-liderança no mesmo perído.

As vendas de automóveis e comerciais leves apresentaram reação expressiva em toda a América Latina no mês de junho. Mesmo assim os resultados foram altamente impactados pelos efeitos da pandemia.

Com 19,8% de participação, a FCA liderou as vendas no mercado brasileiro nos segmentos de automóveis e comerciais leves. Destes, 14,3% foram registrados pela Fiat e 5,3% para a Jeep. Os números deram à marca Fiat 0,4 ponto percentual de avanço em relação a igual período de 2019 e de 5,3% para o Jeep.

Fiat Chrysler Automóveis lidera no segmento de picapes

A Fiat liderou o segmento de picapes no Brasil, com Strada e Toro na liderança e vice-liderança. Os modelos Jeep Renegade e Compass também ganharam participação de mercado. O desenpenho dos modelos sustentou a expansão da marca.

“A demanda pela Nova Fiat Strada, lançada no Brasil em 26 de junho, está muito acima das nossas expectativas”, comenta Antonio Filosa, presidente da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) para a América Latina.

“Tivemos demanda de mais de 5 mil unidades em menos de uma semana de vendas, antes mesmo do lançamento da campanha publicitária. Também estamos animados com a composição do mix, pois 40% da demanda é para a versão Volcano, top de linha,” completou o executivo Filosa.

Fiat Toro

Na Argentina, a FCA alcançou 15,4% de market share no trimestre. As duas principais marcas do grupo ganharam mercado. A marca Fiat conquistou 1,7 ponto percentual de participação de mercado, fechando o trimestre com 11,2% de market share.

Jeep

Enquanto isso, a Jeep avançou 1 ponto percentual, finalizando o trimestre com uma participação de mercado de 3,5%. Nos demais países da América Latina, excluído o México, a participação da FCA somou 3%. 

“A tendência de compras online se acelerou muito nos últimos meses. Deve continuar em alta mesmo depois da retomada gradual das atividades. Consolidou-se um novo comportamento digital, que não recuará. Estamos preparados para atender os clientes nos ambientes real e virtual”, explica Antonio Filosa.

Mercado Latam

No segundo trimestre do ano, as vendas totais de veículos na América Latina (excluído o México) somaram 354,9 mil veículos. O resultado reflete o forte impacto da pandemia sobre as vendas, que caíram 58,3% em relação ao primeiro trimestre do ano e ficaram 66,2% abaixo do segundo trimestre de 2019.

O Brasil é o maior mercado, com 230,5 mil veículos, o que representa queda de 56,7% sobre o trimestre anterior e retração de 65,5% sobre o segundo trimestre de 2019.

A Argentina registrou o emplacamento de 58,7 mil veículos no trimestre, com queda de 32,1% sobre o trimestre anterior e recuo de 44% em relação ao segundo trimestre de 2019.

Queda nas vendas

Nos demais países da região, as vendas foram de 65,7 mil veículos, com queda ainda mais acentuada: -71,7% na comparação com o primeiro trimestre deste ano e -76,6% em relação ao segundo trimestre de 2019.

No mês de junho, o mercado automotivo da região registrou 189,7 mil unidades vendidas, o que representa um avanço de 90,6% sobre maio. Mas o mercado ainda está 43,9% abaixo das vendas de junho de 2019.

O Brasil foi o mercado mais ativo, com 122,7 mil emplacamentos (117% em relação a maio; 42,5% abaixo de junho 2019). A Argentina somou 35 mil unidades (78% acima de maio/20 e 1,6% acima de junho/19) e os demais países da região (excluindo México) somaram 32 mil unidades vendidas (37,2% acima de maio/20 e 64,6% abaixo de junho/19).

Nova Fiat Strada 2021

Comentários